Tempo
|
A+ / A-

Ministerio Público vai recorrer da decisão que autoriza Mário Machado a combater na Ucrânia

21 mar, 2022 - 13:00 • Liliana Monteiro

O militante neonazi estava obrigado a apresentar-se quinzenalmente à polícia.

A+ / A-

O Ministerio Público vai interpor recurso da decisão que permite a Mário Machado sair do país para combater na Ucrânia.

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa considerou que o arguido, militante neonazi, poderia deixar de se apresentar quinzenalmente na esquadra da polícia para seguir rumo à Ucrânia com um grupo de portugueses para prestar ajuda humanitária e, se necessário, combater ao lado das tropas ucranianas.

Machado estava obrigado a esta medida de coacção por causa de um procesos na justiça relacionados com o incitamento ao ódio racial e violência nas redes sociais.

A decisão doTIC foi noticiada pelo semanário "Expresso" na sexta feira e confirmada à Renascença pelo advogado de Machado.

O juiz alegou no despacho que "considerando a situação humanitária vivida na Ucrânia e as finalidades invocadas pelo arguido para a sua pretensão", autorizava Mário Machado a sair de Portugal "enquanto estiver no estrangeiro, nomeadamente naquele país".

O advogado de defesa sublinhou que o arguido voltará às apresentações periódicas quando regressar a Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+