Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Guimarães. Comissão da UNESCO aprova candidatura de Couros a Património Mundial

11 mar, 2022 - 12:02 • Olímpia Mairos

A próxima etapa do processo passará pela apreciação do júri internacional que será efetuada na sede da UNESCO, em Paris.

A+ / A-

O Presidente da Câmara de Guimarães anunciou que o processo de candidatura do alargamento da área classificada como Património Cultural da Humanidade à zona de Couros foi aprovado pela Comissão Nacional da UNESCO (CNU).

Domingos Bragança dá conta do ofício recebido da CNU, com sede no Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa, assinado pelo seu presidente, o embaixador José Filipe Moraes Cabral, que dá conhecimento da entrega formal, no Centro Património Mundial, pela Missão Permanente de Portugal junto da UNESCO, da candidatura de inscrição do bem “Centro Histórico de Guimarães e Zona de Couros” na lista do Património Mundial, onde um júri internacional avaliará as propostas recebidas de todo o mundo.

“Depois de um denso e extenso processo substantivo e formal, de análise e avaliação de diversas entidades que se têm que pronunciar sobre a candidatura, em Portugal, concluíram-se todos os procedimentos de aprovação para que a UNESCO se possa pronunciar sobre a nossa candidatura”, esclarece o autarca, acrescentando que a candidatura “mereceu os elogios por parte da Comissão Nacional da Unesco”.

O autarca destaca que assumida esta missão, resta “aguardar pela decisão final” que confia “venha a ser favorável”, salientando o aturado trabalho desenvolvido pelas equipas técnicas do município durante um largo período para que a instrução do processo de candidatura fosse bem-sucedido junto das instâncias portuguesas, um primeiro passo fundamental para que a candidatura pudesse chegar a Paris, para uma decisão final.

“Trata-se de um trabalho muito especializado e que necessitou, também, de equipas multidisciplinares exteriores à própria cidade, como são exemplo os diversos especialistas de património internacionais que trabalharam para a candidatura”, assinala a autarquia em comunicado.

No caso de sucesso da candidatura, Guimarães acrescentará 21 hectares aos 19 hectares do Centro Histórico de Guimarães já classificados, juntando uma área dedicada ao trabalho e à curtimenta de peles às áreas que outrora eram os centros militar e civil da cidade.

A concretizar-se o desejo do município, Guimarães será detentora de um dos maiores centros históricos classificados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+