Tempo
|
A+ / A-

Ainda há 200 portugueses na Ucrânia

10 mar, 2022 - 16:43 • Fátima Casanova , com Rosário Silva

Desde o inicio da invasão e até esta quinta-feira, já saíram da Ucrânia 121 cidadãos nacionais acompanhados das suas famílias, sem contar com os que saíram antes do inicio do conflito e outros tantos que o fizeram pelos seus próprios meios, sem contatarem as autoridades portuguesas.

A+ / A-

Veja também:


Duzentos portugueses permanecem na Ucrânia. A confirmação foi dada à Renascença pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

“Encontram-se neste momento na Ucrânia, cerca de duas centenas de cidadãos nacionais, dois terços dos quais com dupla nacionalidade. Desses cerca de 200, 40 nacionais, dos quais 39 luso-ucranianos, exprimiram o desejo de sair da Ucrânia”, esclarece o MNE, em resposta por escrito à Renascença.

Todos os 40 portugueses, assim como os cidadãos ucranianos que fazem parte das suas famílias, “estão identificados e são regularmente contactados pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros”, através das Embaixadas de Portugal em Kiev e de Varsóvia, assim como pelo Gabinete de Emergência Consular.

A finalidade é, explica o ministério de Augusto Santos Silva, “garantir todo o apoio necessário, nomeadamente no que à partilha de informação relativa a corredores e/ou comboios humanitários, diz respeito”.

Na capital ucraniana, Kiev, permanecem “34 cidadãos nacionais que se manifestaram junto das autoridades portuguesas”. Desses, “nove querem sair, dos quais oito têm dupla-nacionalidade”.

A este número, acresce o agregado de quatro cidadãos ucranianos que, segundo o MNE, “estão todos identificados e são contactados permanentemente pelas autoridades portuguesas”.

Nas últimas duas semanas, de acordo com a base de dados do MNE, dos cidadãos nacionais que estavam registados na Embaixada de Portugal em Kiev ou que sinalizaram a sua presença em território ucraniano, “121 já saíram do território ucraniano, desde a data de invasão da Ucrânia até ao dia de hoje”.

Além destes, há ainda que ter em conta, os “134 elementos dos respetivos agregados familiares”, além das “quatro dezenas de nacionais que já haviam saído da Ucrânia, nas semanas anteriores à data da invasão, após os vários e insistentes alertas lançados por este ministério”.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros revela ainda que as autoridades polacas divulgaram “ontem, 9 de março”, um relatório segundo o qual “terão saído da Ucrânia, pela fronteira com a Polónia, entre 24 de fevereiro e 8 de março, 224 cidadãos nacionais”.

Significa isto, acrescenta, “que saíram do território ucraniano nacionais pelos seus próprios meios, sem entrarem em contacto com as autoridades portuguesas”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+