Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Alívio das restrições. Hotéis esperam regressar em breve às taxas de ocupação pré-pandemia

17 fev, 2022 - 19:53 • Redação

Presidente da Associação de Empreendimentos Turísticos do Algarve fala de um "crescimento claro", a julgar pelo movimento recente no aeroporto de Faro, a níveis de 2019. Do lado da restauração, o fim das medidas restritivas é bem vindo. Mas a Pro.Var alerta que metade dos restaurantes não estão em condições de manter as portas abertas.

A+ / A-

O setor da hotelaria acredita que, em breve, poderá atingir taxas de ocupação semelhantes às dos anos pré-pandemia.

No caso do Algarve, a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turisticos da região (AHETA) acredita que num "crescimento claro".

Em declarações à Renascença, Hélder Martins, o presidente da AHETA, identifica um outro indicador ocupação dos aviões no aeroporto de Faro já está a aumentar.

"As expectativas que temos, neste momento, são de um crescimento claro. Os indicadores do aeroporto de Faro são muito credíveis e são sempre positivos. Já tivemos, este fim de semana que passou, a ocupação e o movimento do aeroporto de Faro foi semelhante ao de 2019. E o outro indicador, também, muito positivo é que a ocupação dos aviões está claramente a crescer"

O presidente da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve, que diz que a decisão do Governo de aliviar as restrições por causa pandemia são muito positivas. Helder Martins assume que "aumenta, desta forma, a confiança de quem quer fazer férias em Portugal".

Também o setor da restauração mostra-se satisfeito com o alívio das medidas. É "uma excelente notícia", diz à Renascença, da Pro.Var.

Mas são precisos apoios, porque "mais ou menos metade dos restaurantes estão numa situação grave de sobreendividamento e essa metade estão na disponibilidade de vender os restaurantes, porque não têm condições para continuar".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+