Tempo
|
A+ / A-

Violência no namoro. PSP regista mais de 2.200 denúncias em 2021

14 fev, 2022 - 05:15 • Fátima Casanova , com redação

A grande maioria das vítimas é do género feminino. A PSP vai realizar ações de sensibilização, nas escolas, como forma de prevenção.

A+ / A-

A Polícia de Segurança Pública inicia esta segunda-feira uma operação nas escolas de sensibilização para a prevenção da violência no namoro.

Segundo a PSP, a violência no namoro entre jovens motivou mais de 2.200 queixas durante o ano passado, um número que tem estado sempre a subir. O fim do namoro motivou mais de metade dos casos que chegaram à polícia.

Em declarações à Renascença, subcomissária da PSP Inês Lemos indica que “em 2021 foram registadas cerca de 2.215 novas de violência no namoro, sendo que 1.200 são entre ex-namorados e 900 nas relações de namoro ainda em curso. A maioria das vítimas é do sexo feminino”.

Explica ainda que “a violência nas relações de namoro, à semelhança daquilo a que assistimos na violência doméstica, assume as vertentes física, psicologia e emocional, social, sexual e económica”.

“A maioria dos relatos envolve a violência psicológica, portanto, falamos de cerca de 85% e a violência física cerca de 70%. No que respeita ao local da ocorrência 50% das ocorrências ocorrem no interior das residências e 27% na via pública”, acrescenta a subcomissária.

Segundo a PSP, “injuriar, ameaçar, ofender, agredir, humilhar, perseguir ou devassar a intimidade são formas dessa violência”.

Para assinalar o Dia de São Valentim que se assinala nesta segunda-feira, esta força de segurança inicia nas escolas portuguesas uma operação de sensibilização e informação - denominada "No Namoro não há Guerra" - que vai decorrer até 25 de fevereiro, "reforçando o compromisso da prevenção da violência doméstica e, em particular, da violência no namoro".

Os alunos do terceiro ciclo do ensino básico e do ensino secundário - faixa etária dos 13 aos 18 anos - são os principais destinatários das ações de sensibilização.

A PSP considera que a replicação de comportamento violentos nas relações de namoro "são um indício da necessidade de intervenção especializada" e apela à denúncia da violência, quer seja no namoro ou em qualquer outro contexto.

“As vítimas, ou qualquer outra pessoa que tenha conhecimento da situação, devem apresentar queixa nas esquadras ou procurar ajuda junto das Equipas da Escola Segura (contexto escolar) ou das Equipas de Proteção e Apoio à Vítima", salienta a direção nacional da PSP.

GNR lança a campanha #VaisParar

Também a GNR, entre o dia 14 e 20 de fevereiro, realiza uma campanha de prevenção e sensibilização, com o objetivo de combater comportamentos violentos e todas as formas de agressão existentes, em especial no namoro entre jovens, onde estes comportamentos são precoces.

A campanha #VaisParar visa incentivar todos os jovens a denunciar e a não aceitar qualquer tipo de violência psicológica, emocional, física, social ou sexual”, refere a nota enviada à redação.

Durante o ano de 2020, na área de responsabilidade da GNR, foram registados 1.110 crimes de violência no namoro em todas as faixas etárias. Desses crimes, 365 vítimas encontravam-se na faixa etária até aos 24 anos. Em 2021 foram registados 1 105 crimes de violência no namoro, em todas as faixas etárias, registando-se 332 vítimas com idade até aos 24 anos.

As denuncias podem ser feitas numa esquadra ou junto das equipas da Escola Segura, mas existem também dois endereços de email para pedir ajuda ou sinalizar alguma situação: escolasegura@psp.ptviolenciadomestica@psp.pt

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+