Tempo
|
A+ / A-

Hospital de Faro com urgência pediátrica no limite

09 fev, 2022 - 12:11 • Anabela Góis , Marta Grosso

Um surto de Covid-19 veio agravar a falta de profissionais no Centro Hospitalar do Algarve. Diretor clínico do hospital de Faro admite dificuldades nos serviços de urgência até ao final do mês.

A+ / A-

No Hospital de Faro, as escalas da urgência de pediatria têm sido asseguradas com dificuldade e, nesta quarta-feira, os casos mais graves terão de ser transferidos para Portimão.

“Das 9h da manhã às 9h da noite, hoje, não há urgência escalar na pediatria em Faro”, informa o diretor clínico, em declarações à Renascença.

“No entanto, há um ou dois pediatras na unidade de cuidados intensivos pediátricos e neonatais”, e “estão aptos a dar apoio às situações graves e disponíveis para o fazer que é por isso que eles também cá estão”, acrescenta.

Horácio Guerreiro adianta que “o serviço de pediatria com outros pediatras que não estão de urgência funciona das 9h00 às 17h00”, sendo que estes pediatras “também podem dar apoio”.

“Em último caso, quando um médico de urgência tem dúvidas e precisa do parecer de um pediatra, das 17h às 21h pode ter de enviar uma criança a Portimão, para ser observada por um pediatra, mas isso será residual”, considera.

A assistência está assegurada, garante o diretor clínico do hospital de Faro. O Centro Hospitalar do Algarve tem cerca de 100 profissionais de saúde infetados com Covid-19, situação que está a afetar, em particular, o hospital de Faro, onde há 13 médicos em isolamento, cinco dos quais pediatras.

Mas “o problema não tem a ver só com o surto de Covid”, diz Horácio Guerreiro, adiantando que “o surto de Covid, em princípio, dentro de uns dias, estará ultrapassado”. A falta de profissionais já vem de longe e agora agravou-se.

O diretor clínico prevê, por isso, “algumas falhas na escala de urgência de Faro até ao fim do mês de fevereiro” e, quanto “ao futuro não sabemos”.

“A verdade é que, se os médicos deixarem de fazer urgência, aqueles que estão dispensados, então entraríamos em rutura total, porque não é com três pediatras que consigo manter uma escola sete dias por semana, dia e noite”, admite.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+