Tempo
|
A+ / A-

Maioria dos agentes da Saúde considera essencial medidas para reter profissionais no SNS

14 jan, 2022 - 05:46 • Redação

Mais de dois terços dos inquiridos num estudo da consultora EY e da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares consideram os recursos humanos como o tema mais premente. Defendem também que o assunto deve estar nos programas eleitorais.

A+ / A-

Um estudo sobre as prioridades da Saúde em Portugal conclui que 66% dos inquiridos considera essencial que os programas dos partidos às eleições legislativas incluam medidas concretas para reter profissionais no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"Para dois terços da amostra é essencial saber de que forma os programas eleitorais se propõem reter e desenvolver os profissionais de saúde do SNS", indicam as conclusões do estudo que inquiriu administradores hospitalares, profissionais do setor e associações de utentes.

Promovido pela consultora EY (Ernst & Young) e pela Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH), os resultados do inquérito referem ainda que 65% dos inquiridos considera importante conhecer o modelo organizativo proposto para o SNS e que 99% defende que a forma de financiamento do SNS faça parte dos programas eleitorais às legislativas de 30 de janeiro.

Ainda no que respeita ao financiamento do SNS, os partidos devem apresentar medidas para a melhoria da articulação entre cuidados primários e secundários e de como pretendem promover uma relação direta entre financiamento e os resultados sentidos pelos utentes, adianta as conclusões.

Além disso, 75% das 141 entidades que responderam ao inquérito querem ver nos programas dos partidos "medidas claras" de revisão dos modelos de compensação e benefícios dos profissionais de saúde, enquanto 79% pretende propostas para tornar o acesso dos utentes ao SNS mais simples e reduzir os tempos de espera por consultas, cirurgias e exames, indicam os resultados.

"Após dois anos de pandemia, a terceira prioridade -- identificada por 68% da amostra -- prende-se com a necessidade de se preverem mecanismos que permitam maior autonomia na contratação de pessoal, possibilitando assim melhor capacidade de resposta às necessidades dos utentes", refere o documento.

"Espera-se, com as conclusões deste `survey´, dar um contributo para que o próximo Programa de Governo incorpore as matérias que são consideradas prioritárias por quem melhor conhece o setor da Saúde em Portugal", salienta o estudo da EY e da APAH.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+