Tempo
|
A+ / A-

Incêndios

Falta de mão de obra atrasa reflorestação da Mata de Leiria

12 jan, 2022 - 00:50 • Sandra Afonso

Plano de gestão vai ser colocado em discussão pública esta quarta-feira, até 1 de fevereiro. Governo prevê gastar 10 milhões de euros no processo.

A+ / A-

A dificuldade em contratar compromete a execução dos fundos europeus nas florestas e é um dos motivos apontados pelo secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território para os atrasos na reflorestação do Pinhal de Leiria, devastada pelos incêndios de 2017.

Em declarações à Renascença, João Catarino explica que parte do trabalho de plantação “sofreu atrasos, por falta de mão de obra, embora as empresas que tinham contratualizado este serviço, há um ano e meio, acabaram por nos reportar e alguns até foram penalizados por não terem conseguido cumprir os prazos previstos para a plantação, porque não conseguiram contratar mão de obra”.

Ainda assim, o governante acredita que o país não irá perder estas verbas e que “a União Europeia terá a sensibilidade para perceber que não conseguíamos fazer mais. Acho que haverá sempre bom senso nas tomadas de decisão e se tiver de ser, no limite, a prorrogação de alguns destes prazos.”

Mais de quatro anos depois dos incêndios de junho e de outubro de 2017, mais de metade das árvores estão ainda por plantar no pinhal de Leiria.

O secretário de Estado não quantifica as árvores, entretanto, plantadas na zona afetada pelos incêndios de outubro de 2017, mas garante apenas que quase metade da área já está intervencionada.

O Governo prevê gastar 10 milhões de euros no processo de recuperação do Pinhal de Leiria até 2025. Parte deste investimento está já executado, o restante está prestes a ser contratualizado.

Esta quarta-feira vai ser colocado em discussão pública o Plano de Gestão do Pinhal Nacional de Leiria para as próximas décadas.

O atual plano é anterior aos incêndios de 2017 e já está desatualizado. João Catarino admite que gostava de ter menos pinheiros no Pinhal de Leiria, mas as condições locais limitam uma maior plantação de outras espécies.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Antonio Mendes Olive
    25 jun, 2022 Macinhata do Vouga 14:31
    Pinhal de Leiria,, a vergonha da governação. Onde estão os milhões que vieram da união europeia? Falta de mão de obra? ou falta de organização? Meu QUERIDO PINHAL DE LEIRIA, QUEM TE VIU 4E QUEM TE VÊ!!!
  • Petervlg
    12 jan, 2022 Trofa 12:10
    As pessoas do rendimento minino, são uma solução, visto que estão sem fazer nada

Destaques V+