Tempo
|
A+ / A-

Acaba o isolamento para contactos com caso positivo no local de trabalho

06 jan, 2022 - 15:52 • Ricardo Vieira

Esclarecimento foi avançado pelo primeiro-ministro, no final do Conselho de Ministros que aprovou novas medidas de contenção da pandemia, que entram em vigor na segunda-feira, 10 de janeiro.

A+ / A-

Veja também:


Os trabalhadores que contactarem com um caso positivo de Covid-19 no local de trabalho deixam de ficar em isolamento ao abrigo das normas atualizadas da Direção-Geral da Saúde (DGS), esclareceu esta quinta-feira o primeiro-ministro.

António Costa falava aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros, que aprovou um novo conjunto de medidas para conter a pandemia, que entram em vigor na segunda-feira, dia 10 de janeiro.

À semelhança do que vai acontecer nas escolas, que reabrem na próxima semana, também nos locais de trabalho deixará de haver isolamento obrigatório.

"Relativamente ao isolamento das escolas, a norma geral da DGS diz que: primeiro, quem tem dose de reforço nunca fica isolado; segundo lugar, só há isolamento na situação de coabitantes. Se uma criança testar positivo, as outras crianças daquela turma deixam de ter que ficar isoladas, a não ser que algumas delas sejam coabitantes, um irmão, um primo, etc... E isto vale para as escolas como vale para os locais de trabalho, como vale para qualquer outro espaço", explicou o primeiro-ministro.


As escolas reabrem na segunda-feira sem turmas em isolamento e o teletrabalho continua a ser obrigatório até dia 14, anunciou esta quinta-feira o primeiro-ministro. A situação é “tranquila” no que respeita à contenção de casos graves da Covid-19 e "podemos avançar na próxima semana, com cautela", declarou António Costa.

“Não estamos numa situação de pressão sobre os internamentos, quer em cuidados gerais, quer em cuidados intensivos. Temos neste momento no nosso sistema hospitalar cerca de 16 mil pessoas internadas e menos de 10% são doentes covid-19”, afirmou António Costa, em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros desta quinta-feira.

As novas medidas entram em vigor na segunda-feira e estarão em vigor pelo tempo necessário, disse o chefe do Governo em resposta à Renascença. Confira aqui a lista de medidas.

O teste negativo passa a ser obrigatório para acesso a: visitas a lares, visitas a pacientes internados em estabelecimentos de saúde, grandes eventos e eventos sem lugares marcados ou em recintos improvisados e recintos desportivos (salvo decisão da DGS). Mas quem tem dose de reforço há mais de 14 dias está dispensado de teste negativo.

Pelo segundo dia consecutivo,Portugal regista mais de 39 mil casos diários de Covid-19, indica o boletim desta quinta-feira da Direção-Geral da Saúde. Vinte e cinco pessoas morreram com Covid-19 nas últimas 24 horas.

O número de pessoas internadas continua a aumentar. Nos hospitais portugueses há agora 1.311 doentes com Covid, mais 60 pacientes em relação ao dia anterior.

Em enfermaria estão internadas 1.296 pessoas, mais 45, e em unidades de cuidados intensivos 158, mais 15 em comparação com o boletim de quarta-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+