Tempo
|
A+ / A-

Hospital de Évora recebe 40 novos médicos internos

05 jan, 2022 - 14:37 • Rosário Silva com Lusa

No Alentejo, entre hospitais e centros de saúde, há agora 114 novos médicos internos.

A+ / A-

Quatro dezenas de novos médicos internos estão, desde o inicio desta semana, em formação no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), ao abrigo de um programa organizado pela Direção do Internato Médico.

Dos 40 médicos, 27 estão em formação geral e vão percorrer todas as especialidades no decorrer deste ano. Os restantes 13, em formação especializada, optaram, revela uma nota do hospital enviada à Renascença, pelas especialidades de “anestesiologia, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, medicina interna, nefrologia, oncologia médica, ortopedia, pediatria e psiquiatria”.

Segundo Artur Canha da Silva, diretor do Internato Médico, “os internos do HESE são recebidos através de um programa organizado pela Direção do Internato Médico”, ficando a conhecer “uma nova instituição, a sua missão e valores, onde, no futuro, podem vir a desempenhar a sua atividade profissional”.

Estes profissionais de saúde, agora em formação no hospital eborense, são provenientes de vários pontos do país, havendo também uma médica interna oriunda de Cabo Verde.

Chegam a este estabelecimento hospitalar, num momento particularmente exigente, em contexto pandémico, por isso a diretora clínica do HESE, Isabel Pita, espera poder “contar com a colaboração e compreensão de todos”.

Por outro lado, a responsável destaca a importância “de termos novos médicos interessados em desenvolver a sua formação e, eventualmente, a sua carreira neste hospital”, lembrando que “em breve” passará para novas instalações no âmbito do novo Hospital Central do Alentejo.

“Os internos que iniciam funções no HESE poderão ter o privilégio e viver a experiência única de acompanhar a construção de um novo hospital e vê-lo a iniciar atividade”, salienta Isabel Pita.

114 médicos internos em formação no Alentejo

Segundo a Administração Regional de Saúde (ARS), neste momento há 114 médicos internos a realizar formação geral e especializada nos hospitais e centros de saúde da região.

O Hospital do Espírito Santo de Évora é a unidade de saúde que recebe o maior número de novos clínicos para formação, o total de 40 médicos internos.

Segue-se a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), que recebeu 28 novos médicos internos para formação geral e especializada no Hospital José Joaquim Fernandes, em Beja, e nos centros de saúde do distrito.

A ULSBA precisou que 21 dos médicos internos vão realizar formação geral e que os outros sete, vão fazer formação especializada em medicina intensiva, psiquiatria, pediatria e medicina geral e familiar.

Já a Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), que abrange o Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém, e os centros de saúde deste concelho e dos municípios de Alcácer do Sal, Grândola, Odemira e Sines, informou que recebeu 23 médicos internos.

De acordo com a ULSLA, destes 23 médicos internos, 15 são de formação geral e oito vão formar-se nas especialidades de cirurgia geral, medicina geral e familiar, medicina interna, medicina intensiva, ortopedia e saúde pública.

A ARS Alentejo indicou também que outros 15 clínicos foram acolhidos na Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), que integra os hospital Dr. José Maria Grande, em Portalegre, e de Santa Luzia, em Elvas, e os centros de saúde do distrito de Portalegre.

Os restantes oito médicos internos vão fazer formação nas unidades do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Alentejo Central, acrescentou.

O internato médico, que se realiza após a licenciatura em medicina, é uma formação médica especializada, teórica e prática, com o objetivo habilitar o clínico ao exercício tecnicamente diferenciado na respetiva área profissional de especialização.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+