Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Hospitais portugueses com maior número de internados em 10 meses

04 jan, 2022 - 16:36 • Lusa

Há mais de 1.200 pessoas internadas com Covid-19.

A+ / A-

Veja também:


Os doentes internados em enfermaria com covid-19 atingiram esta terça-feira o número mais elevado dos últimos 10 meses ao totalizarem 1.203.

O boletim epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) regista um crescimento do número de pessoas internadas, contabilizando hoje 1.203 internamentos, mais 36 do que na segunda-feira, 147 dos quais em unidades de cuidados intensivos, mantendo-se este número nas últimas 24 horas.

Um número idêntico foi registado a março de 2021, quando estavam hospitalizados em enfermaria 1.278 doentes.

No entanto, o número de internamentos é significativamente inferior ao registado em Portugal no mesmo dia há um ano, quando estavam internadas 3.171 pessoas, 510 das quais em cuidados intensivos.

Segundo a DGS, Portugal registou 25.836 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas e mais 15 mortes associadas à covid-19.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 19.015 pessoas e foram contabilizados 1.460.406 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde de hoje.

A covid-19 provocou 5.448.314 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em diversos países.

Uma nova variante, a Ómicron, considerada preocupante e muito contagiosa pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 110 países, sendo dominante em Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+