Tempo
|
A+ / A-

GNR

Um morto e 177 acidentes nas últimas 24 horas

01 jan, 2022 - 10:44 • Redação com Lusa

As ações de fiscalização nas estradas nacionais prolongam-se até 3 de janeiro.

A+ / A-

Os dados provisórios do segundo dia da Operação de Ano Novo, da GNR, apontam para um morto, oito feridos graves, 64 ligeiros e 177 acidentes.

“Estamos a falar de situações relativas distração do condutor, velocidade excessiva paras as condições existentes e manobras irregulares”, avançou à Renascença Major Nelson Santana.

“Adotar uma condução cautelosa e atenta, contribuindo para a redução dos índices de sinistralidade rodoviária”, é o conselho deixado para os próximos dias.

No acumulado de dois dias desta fase da operação que tem o objetivo de combater a criminalidade e intensificar o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego, a GNR registou 357 acidentes, um morto, 13 feridos graves e 120 ligeiros.

Os principias motivos das infrações prende-se com “o excesso de velocidade, falta de inspeção obrigatória e a ausência do uso do cinto de segurança”.

No período entre 30 de dezembro e 2 de janeiro, decorre a terceira fase da operação Natal e Ano Novo, pelo que a GNR irá manter-se particularmente atenta aos comportamentos de risco dos condutores, nomeadamente o excesso de velocidade, as manobras perigosas, a correta sinalização e execução de manobras de ultrapassagem.

Também a de mudança de direção e de cedência de passagem, a utilização indevida do telemóvel, a circulação correta na via mais à direita em autoestradas e itinerários principais e complementares, bem como a incorreta ou a não utilização do cinto de segurança e/ou dos sistemas de retenção para crianças vão ser alvo da atenção da força de segurança.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+