Tempo
|
A+ / A-

Mais de 380 toneladas angariadas pelo Banco Alimentar do Porto

14 dez, 2021 - 11:49 • Olímpia Mairos

Campanha decorreu em 310 superfícies comerciais do distrito e contou com a ajuda de 3.700 voluntários.

A+ / A-

A campanha de recolha de géneros alimentares do Banco Alimentar (BA) Contra a Fome do Porto conseguiu recolher mais de 380 toneladas de bens alimentares, o que equivale a mais 12 toneladas relativamente à última campanha realizada, em 2019.

Entre os produtos angariados, destacam-se o arroz (98 toneladas), o leite (85 toneladas) e as massas (84 toneladas).

Já as bolachas e as leguminosas em conserva “contabilizaram, entre si e de forma equilibrada, 51 toneladas. Açúcar, charcutaria em conserva, conservas, óleo e azeite fecham esta listagem e representam, entre si, mais de 40 toneladas”, indica o BA em comunicado.

A iniciativa envolveu 310 super e hipermercados do distrito do Porto e contou com o apoio de 3.700 voluntários.

Para António Cândido da Silva, presidente do BA Contra a Fome do Porto, “estes números mostram-nos, sem margem para dúvida, que a comunidade está hoje, e mais do que nunca, solidária e preocupada em ajudar o próximo”.

“Quero, em nome do BA do Porto agradecer a toda a comunidade que, uma vez mais, respondeu positivamente a este nosso apelo e que, com a sua enorme generosidade, nos permite continuar a ajudar quem mais precisa”, acrescenta o responsável.

O Banco Alimentar Contra a Fome do Porto apoia atualmente mais de 300 instituições, que prestam ajuda, por sua vez, a mais de 60 mil pessoas referenciadas.

Para responder às necessidades, o Banco Alimentar Contra a Fome do Porto tem já agendada para maio do próximo ano uma nova campanha de recolha de alimentos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+