Tempo
|
A+ / A-

África do Sul. Defesa quer adiar audição de Rendeiro para terça-feira

13 dez, 2021 - 09:20 • Filipe d'Avillez

Pedido vai ser feito pela advogada June Marks, que diz não ter tido tempo para ler o processo e reunir com o constituinte.

A+ / A-

A primeira audição de João Rendeiro na África do Sul poderá ser adiada para terça-feira, a pedido da defesa do ex-banqueiro.

Segundo avança a SIC Notícias, a advogada June Marks diz que ainda não teve tempo de ler o processo nem de reunir com o seu constituinte.

Caso o juiz aceite o pedido, fica assim adiada para terça-feira a primeira audição que, segundo o sistema judicial sul-africano, serve apenas para validar a detenção do arguido e para um primeiro interrogatório e imposição de medida de coação.

O processo de extradição, propriamente dito, apenas será analisado numa segunda fase, depois de Portugal fazer o pedido oficial.

O ex-banqueiro foi preso no sábado, num hotel em Durban, na província sul-africana do KwaZulu-Natal, numa operação que resultou da cooperação entre as polícias portuguesa, angolana e sul-africana.

João Rendeiro estava fugido à justiça há três meses e as autoridades portuguesas reclamam agora a sua extradição para cumprir pena em Portugal.

O ex-presidente do extinto Banco Privado Português (BPP) foi condenado em três processos distintos relacionados com o colapso do banco, tendo o tribunal dado como provado que João Rendeiro retirou do banco 13,61 milhões de euros.

O colapso do BPP, em 2010, lesou milhares de clientes e causou perdas de centenas de milhões de euros ao Estado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+