Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Anacom recomenda que deve ser possível televisão gratuita por cabo

07 dez, 2021 - 19:10 • Lusa

Proposta feita no âmbito do grupo de trabalho sobre o futuro da TDT.

A+ / A-

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) recomenda ao Governo, no âmbito do grupo de trabalho sobre o futuro da TDT, que a televisão gratuita "deveria ser possível por cabo", afirmou esta terça-feira o presidente.

"Porque é que nós não recebemos gratuitamente a televisão por cabo onde há cabo", questionou João Cadete de Matos, quando questionado sobre a TDT, num encontro com jornalistas.

"O que penso é que em termos de futuro faz sentido haver [...] televisão gratuita por cabo", reforçou o presidente da entidade reguladora.

Esta é uma "recomendação que já temos feito ao Governo", no âmbito do grupo de trabalho que foi criado pelo secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, sobre o futuro da TDT [televisão digital terrestre], "é algo que deve fazer parte da equação", considerou.

"E se nós consideramos que agora está no caderno de encargos do Governo o concurso de levar a fibra ótica a todo o país, até pode ser o grossista que leva a fibra ótica levar a televisão a todo o lado", acabando assim com o problema da proliferação de antenas.

E se não houver cabo, "pode haver a parabólica e o satélite", acrescentou João Cadete de Matos, nomeadamente tendo em conta que Portugal tem o "paradoxo" de ser um país onde a televisão paga predomina e ser "recorde na Europa" nesta matéria.

Atualmente, a Meo/Altice Portugal detém a concessão da TDT, a qual termina em 2023.

Também em 2023 termina o mandato de João Cadete de Matos na presidência da Anacom, sendo que o responsável conta voltar ao Banco de Portugal.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+