Tempo
|
A+ / A-

Covid 19

Funcionários de lares de idosos vão voltar a ser testados

02 dez, 2021 - 15:13 • Lusa

Governo reativa plano de testagem preventiva contra a covid-19 dos funcionários de lares de idosos e prorroga até março de 2022 programa de reforço de recursos humanos nestas estruturas.

A+ / A-

O Governo anunciou esta quinta-feira que decidiu reativar o plano de testagem preventiva contra a covid-19 dos funcionários de lares de idosos e prorrogou até março de 2022 o programa de reforço de recursos humanos nestas estruturas.

"No quadro do momento em que vivemos, decidimos prorrogar o programa de reforço de recursos humanos nos lares. O programa MAREESS, que já colocou mais de cerca de 25 mil pessoas para reforçar os recursos humanos nos lares, tinha previsão de terminar no final deste ano e foi prorrogado para o primeiro trimestre de 2022", disse a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, na conferência de imprensa realizada após o Conselho de Ministros.

A Medida de Apoio ao Reforço de Emergência em Equipamentos Sociais e de Saúde (MAREESS) foi criada em abril de 2020, no âmbito da pandemia de covid-19 e permite a instituições como lares de idosos a integração de pessoas para desenvolvimento de trabalho socialmente útil. .

Ana Mendes Godinho avançou também que foi reativado o programa de testagem preventiva à covid-19 dos profissionais dos lares de idosos "para se procurar antecipar e evitar a propagação". .

A ministra disse ainda que a vacinação com a dose de reforço da vacina contra a covid-19 "está praticamente concluída" nos lares de idosos, existindo ainda situações que dependem da última vez em que os utentes dessas estruturas tiveram covid-19 ou receberam a segunda dose.

A covid-19 provocou pelo menos 5.214.847 mortes em todo o mundo, entre mais de 262,26 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.471 pessoas e foram contabilizados 1.154.817 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

Uma nova variante, a Ómicron, foi recentemente detetada na África do Sul.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+