Tempo
|
A+ / A-

Universidade de Évora avança com licenciatura em engenharia aeroespacial

29 nov, 2021 - 14:09 • Rosário Silva

Para a reitora Ana Costa Freitas, a nova licenciatura, além de ser “uma boa aposta”, enquadra-se na “estratégia da universidade” e da região que pretende manter-se sede do cluster aeronáutico em Portugal.

A+ / A-

Com o setor aeroespacial a crescer, a Universidade de Évora (UÉ) prepara-se para abrir, no próximo ano, uma licenciatura em engenharia aeroespacial.

“Este é um curso que já foi enviado à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior”, confirmou, à Renascença, a reitora Ana Costa Freitas, anunciando que foram feitas “três ou quatro contratações para a sua preparação”.

Segundo a reitora da UÉ, o curso está a ser “pensado, mais ou menos, desde 2014”, tendo chegado a ser proposto “um mestrado integrado que não foi aprovado”, levando a academia a repensá-lo para dois ciclos. “Agora abrimos só o primeiro ciclo e, para o ano, enviamos para a Agência, a proposta de criação do segundo ciclo”, refere.

A nova licenciatura enquadra-se na “estratégia da universidade” que definiu “quatro áreas âncora”, onde se inclui a “área aeroespacial e transformação digital”, que incentiva a evolução tecnológica.

“Eu acho que é uma aposta da região” e, como tal, “a UÉ não se pode divorciar”, até porque, sublinha a reitora, “temos aqui empresas da área, como “a Embrayer e a Mecachrome”.

“A sede do cluster aeronáutico é em Évora”, por isso, “é uma boa aposta para universidade”, pois é um curso com “uma procura muito grande e de muito futuro”, sublinha, Ana Costa Freitas.

O Centro de Emprego e Formação Profissional de Évora tem a funcionar vários cursos de aeronáutica. Com a licenciatura em engenharia aeroespacial, a reitora acredita que vai ser possível incrementar “criação de mais mão-de-obra e aumentar a capacidade de resposta” nesta área especifica.

“Há uma estratégia do Alentejo, e até do Governo, para fixar uma série de empresas neste triângulo Évora - Ponte de sor – Beja”, logo “é importante que tenhamos a capacidade de fixar empresas e fazer formação de pessoas” para, em consequência, “conseguirmos fixar os jovens na região”.

Inserido neste propósito, a UÉ criou em 2020 a Cátedra CEiiA de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, com a finalidade de apoiar a implementação de ciclos de estudos de licenciatura e mestrado em engenharia aeronáutica.

Neste momento, a cátedra está a organizar, em colaboração com vários parceiros aeronáuticos nacionais, um ciclo de webinars que decorrem até maio de 2022.

Os profissionais da aeronáutica e do espaço, incluindo alunos que frequentem cursos de licenciatura e de mestrado relacionados com o setor, são os destinatários destas palestras.

Com sede em Matosinhos, o CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto vai, a partir do próximo ano, ficar aportado no Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia (PACT)”, do qual a UÉ é acionista.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • J. Guerreiro Marques
    02 dez, 2021 Évora 22:54
    Quem tiver alguma questão relacionada com a Engenharia Aeroespacial na Universidade de Évora, pode contactar-me diretamente por mensagem privada e/ou pelas redes sociais! JGM

Destaques V+