Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

INSA confirma. Portugal tem 13 casos da variante Ómicron

29 nov, 2021 - 08:10 • Filipe d'Avillez

Todos os casos detetados, até ao momento, dizem respeito a elementos do Belenenses SAD. A DGS confirma que estão todos assintomáticos ou com doença ligeira e diz que o objetivo é quebrar as cadeias de transmissão.

A+ / A-

O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) anunciou ter detetado 13 casos positivos da variante Ómicron, da Covid-19, em Portugal. Segundo uma nota enviada à Renascença, todas as infeções dizem respeito a elementos do Belenenses SAD.

"O Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, através do seu Departamento de Doenças Infeciosas, analisou, dia 28 de novembro, um lote de 13 amostras positivas associadas a casos de infeção de jogadores do Belenenses SAD, dado que um dos casos positivos terá tido uma viagem recente à África do Sul. Analisou ainda amostras provenientes de 218 passageiros de um voo com origem em Maputo que aterrou, dia 27 de novembro, no aeroporto de Lisboa", escreve o INSA. Num esclarecimento posterior explicou-se que nem todos os casos positivos no Belenenses-SAD são de jogadores, sendo alguns de elementos da equipa técnica.

Segundo a nota, os ensaios preliminares "sugerem, fortemente, que todos os 13 casos associados aos jogadores da Belenenses SAD estejam relacionados com a variante de preocupação Ómicron."

Já entre os passageiros do voo de Moçambique foram detetados dois casos positivos de Covid-19, uma das quais é da variante Delta e a outra não foi possível confirmar ainda.

DGS apela à calma

Contactada pela Renascença, a diretora-geral da Saúde sublinha que todos os jogadores estão, neste momento, assintomáticos ou com doença ligeira.

"O que estamos a fazer é assegurar que os contactos destas pessoas positivas fiquem em isolamento e façam o plano de testagem. Queremos deixar uma palavra de calma, porque não há evidência de que esta variante seja mais grave. Aliás, as pessoas afetadas têm doença ligeira ou até assintomática”, explica Graça Freitas.

Todos os contactos dos casos positivos terão agora de cumprir um período de isolamento profilático, independentemente de estarem ou não vacinados e do nível de exposição, tendo ainda de fazer testes pelo menos ao 5.º e ao 10.º dia.

O caso dos jogadores causou polémica durante o fim de semana. O jogo entre o Belenenses SAD e o Benfica disputou-se, mas o surto entre os azuis deixou o clube com apenas 9 jogadores disponíveis. O Benfica venceu por 7-0 e o desafio foi dado como terminado depois do início da segunda parte, quando o Belenenses SAD ficou reduzido a sete jogadores, por lesão.

Tudo indica que o primeiro infetado do plantel do Belenenses-SAD tenha sido o internacional sul-africano Thibang Phete, conhecido como Cafú, que esteve recentemente no seu país para representar a seleção.

Em declarações à SIC Notícias, a diretora-geral da Saúde adiantou que os jogadores do Benfica também vão ser testados, como medida de precaução.

“Vão ser testados por precaução, mas esses jogadores não são contactos de doentes. Os casos estavam isolados. O que nós procuramos são contactos de um doente, de um caso positivo, e são esses agora que vão ser procurados. É entre a Belenenses SAD ou as suas famílias”, explicou Graça Freitas.

Nova variante atravessa o Atlântico

A Ómicron, cujos primeiros casos foram detetados há 15 dias e que é motivo de preocupação devido às mais de 30 mutações que foram identificadas, foi considerada uma "variante de preocupação" pelo grupo de peritos da OMS na sexta-feira, exigindo uma monitorização especial por laboratórios de todo o mundo.

A nova variante da Covid-19 surgiu na África austral, levando vários países a fechar as fronteiras a voos oriundos desta região, incluindo Moçambique.

Esta segunda-feira surgiu ainda a confirmação de dois novos casos no Canadá, detetados em passageiros que tinham regressado há poucos dias da Nigéria, ou seja fora da África Austral, o que demonstra que a variante já se espalhou também no continente africano.

Israel, Marrocos e Japão proibiram a entrada de visitantes estrangeiros.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.193.392 mortes em todo o mundo, entre mais de 260,44 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.417 pessoas e foram contabilizados 1.142.707 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.


[Notícia atualizada às 12h31]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+