Tempo
|
A+ / A-

Venda de armas "online". Operação termina com uma detenção e sete arguidos

26 nov, 2021 - 11:46 • Lusa

Agentes da PSP levaram a cabo 18 mandados de busca nos concelhos da Lisboa, Setúbal, Guarda, Bragança e Viseu.

A+ / A-

Uma detenção, sete arguidos e a apreensão de uma reprodução de arma, três bastões extensíveis e um aerossol de defesa foi o resultado de uma operação da PSP contra a venda de armas online.

A operação, realizada quinta-feira, visou o cumprimento de um mandado de detenção fora de flagrante delito e 18 mandados de busca, dos quais 10 de busca domiciliária, nos concelhos da Lisboa, Setúbal, Guarda, Bragança e Viseu.

Durante a ação foram ainda apreendidos pela PSP dois telemóveis, um portátil, um tablet e um disco rígido.

A operação resultou de uma investigação desenvolvida durante um ano pela PSP, em articulação com o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa (DIAP) e relacionada com a detenção, tráfico e mediação de armas.

"Esta investigação foi iniciada após a sinalização efetuada pelo Departamento de Armas e Explosivos e análise realizada pelo Núcleo de Cibercriminalidade do Departamento de Investigação Criminal, a um anúncio efetuado numa plataforma digital de vendas 'online' onde se disponibilizavam para venda várias supostas armas", precisou a PSP.

Esta operação envolveu 30 policias de várias valências da PSP, onde se inclui o Departamento de Armas e Explosivos e Departamento de Investigação Criminal da PSP.

Na véspera, fonte policial revelou à Lusa a detenção de um bancário, de 25 anos, por suspeitas de tráfico de armas comercializadas através da plataforma 'online' OLX, no âmbito daquela operação.

O detido é ainda suspeito de ter desviado fundos de contas bancárias de clientes da Caixa Geral de Depósitos, onde trabalha.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+