Tempo
|
A+ / A-

COVID-19

Vacinação de crianças. Pais com receio seguem decisão de regulador europeu

24 nov, 2021 - 13:00 • Cristina Branco , com Redação

EMA emite nesta quata-feira um parecer sobre a vacinação de crianças entre os 5 e 11 anos contra a Covid-19. CONFAP pede mais tempo para os pais decidirem.

A+ / A-

Veja também:


A Confederação das Associações de Pais (CONFAP) admite que a "posição de princípio" perante a vacinação das crianças entre os cinco e os 11 anos seguirá o parecer da Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

Em declarações à Renascença, o presidente da CONFAP, Jorge Ascenção, confessa que "há bastante receio entre os pais".

"Naturalmente, esta é uma decisão individual e não me admira nada que muitos pais continuem com sérias dúvidas", diz.

Por isso, a CONFAP compromete-se a "procurar, junto dos especialistas", mais garantias de "que a decisão será a mais indicada".

Na terça-feira, a presidente da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP)considerou que vacinar as crianças entre os 5 e os 11 anos contra a Covid-19 poderia ser importante para normalizar a vida académica dos alunos, reduzindo os confinamentos e situações de isolamento.

Contudo, adianta Inês Azevedo, há muitos fatores a levar em consideração na hora de tomar a decisão, um dos quais a adequação à realidade portuguesa.

“Os estudos científicos indicam que a transmissão parece ser baixa em idades mais jovens, mas não conhecemos os dados nacionais e será necessário ter acesso a esses dados para perceber a importância de vacinar crianças neste grupo etário”, defende a SPP.

A Sociedade Portuguesa de Pediatria sublinha ainda que, “como muitos adultos agora estão protegidos pela vacinação, é natural que a proporção de novos testes positivos encontrados em crianças seja maior do que antes”, especialmente com a "testagem intensiva das crianças" a frequentar as escolas.

Da parte do Governo, tendo em conta as declarações dos partidos que na terça-feira se reuniram com o primeiro-ministro para falar sobre as medidas a tomar para conter a quinta vaga da pandemia, não haverá vontade, para já, de avançar com a vacinação dos menores de 12 anos. A prioridade é agora o reforço da vacina nos grupos mais vulneráveis.

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 14 mortos e 2.560 infetados com Covid-19.

O número de internados subiu para 649, mais 21 do que ontem, mas manteve-se a nível de cuidados intensivos (93, sem alteração relativamente a ontem).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+