Tempo
|
A+ / A-

Pandemia

Covid-19. Governo pondera adiar retoma das aulas por uma semana após o Natal

24 nov, 2021 - 21:33 • João Malheiro, com Redação

Medida ainda não está tomada e deverá ser discutida esta quinta-feira em Conselho de Ministros. Objetivo será evitar um pico de contágios nas escolas.

A+ / A-

Veja também:


O Governo está a estudar o adiamento por uma semana da retoma das aulas após as férias de Natal.

De acordo com o calendário previsto pelo Ministério da Educação, as aulas após o Natal retomam a 3 de janeiro, mas, de acordo com a RTP, não é certo que tal venha a ocorrer.

O adiamento do início do segundo período das aulas por uma semana vai ser avaliado no Conselho de Ministros desta quinta-feira, como forma de acautelar eventuais picos de contágio resultantes do período de pausa letiva.

A maior incidência de infeções está, precisamente, nas crianças até aos nove anos, pelo que a vantagem da eventual aplicação desta medida seria evitar o regresso de alunos infetados ao ambiente escolar.

Escolas Públicas não se opõem

A Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) "desconhece oficialmente" a proposta, mas "não vê qualquer problema".

À Renascença, o presidente da ANDAEP, Filinto Lima, admite que "o melhor é o calendário escolar atual manter-se", mas "não serão as escolas a contribuir para o aumento da pandemia".

"É evidente que se for recomendado, as escolas terão de ajustar a sua atividade", afirma.

A ANDAEP faz um balanço "positivo" do primeiro período do atual ano letivo, apesar de haver "constrangimentos" provocados pela Covid-19.

"Desde o início, os diretores estão a gerir pacientemente a pandemia. Temos a experiência dos anos anteriores e estamos a fazer melhor do que os anos passados", considera.

Sobre a possibilidade de Portugal avançar para a vacinação para crianças a partir dos cinco anos, Filinto Lima é "no abstrato, a favor", mas remete a decisão para os especialistas de saúde.

[Artigo atualizado às 22h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+