Tempo
|
A+ / A-

Sociedade Portuguesa de Pediatria

Covid-19. Vacinar crianças pode ser importante para “reduzir confinamentos nas escolas”

23 nov, 2021 - 16:14 • Cristina Branco , Marta Grosso com Lusa

Presidente da Sociedade Portuguesa de Pediatria garante à Renascença que a vacina contra a Covid-19 “é segura” para crianças entre os 5 e os 11 anos. Na véspera de se conhecer a decisão a Agência Europeia do Medicamento, Inês Azevedo diz que há vários fatores a ter em conta.

A+ / A-

A Sociedade Portuguesa de Pediatria considera que vacinar as crianças entre os 5 e os 11 anos contra a Covid-19 pode ser importante para normalizar a vida académica dos alunos.

“Ela será importante se isso permitir reduzir as medidas e confinamento nas escolas e os isolamentos obrigatórios”, afirma a presidente do organismo à Renascença.

Na opinião de Inês Azevedo, vacinar este grupo etário “poderá ser uma vantagem enorme para permitir o regresso das crianças a uma vida normal, porque neste momento estamos a assistir novamente a confinamentos frequentes e eu conheço casos de crianças que já tiveram por três vezes isoladas durante 15 dias durante este ano letivo, isso não continuar a ser”.

“Essa será para nós a principal vantagem”, reforça, admitindo que “a doença grave é muito rara nestes grupos etários”.

Numa altura em se espera pela decisão da Autoridade Europeia do Medicamento (EMA), a pediatra diz à Renascença que há vários fatores a ter em conta.

“Terei que olhar para os dados da comissão técnica de dados da DGS [Direção-Geral da Saúde] e perceber qual será a sua decisão. Isso será essencial para depois o nosso aconselhamento poder ser mais baseado em evidências e conhecimento da realidade nacional. Mas, para já, os dados que temos é de que é uma vacina segura”, afirma.

“É preciso ter também em conta os casos por faixa etária, a transmissão e a responsabilidade das crianças na infeção, dados aos quais a Sociedade não tem acesso”, adianta, numa entrevista à agência Lusa.

Numa posição divulgada nesta terça-feira, assinada pela direção e pela comissão de vacinas da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), a organização lembra que as vacinas foram testadas em ensaio clínico em 1.517 crianças e que se mostraram seguras e eficazes.

“Os estudos científicos indicam que a transmissão parece ser baixa em idades mais jovens, mas não conhecemos os dados nacionais e será necessário ter acesso a esses dados para perceber a importância de vacinar crianças neste grupo etário”, reforça.

A SPP considera ainda que, “como muitos adultos agora estão protegidos pela vacinação, é natural que a proporção de novos testes positivos encontrados em crianças seja maior do que antes”, especialmente com a "testagem intensiva das crianças" a frequentar as escolas.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • sercosmico sss
    23 nov, 2021 Lisboa 18:40
    só mentiras , negócio das vacinas

Destaques V+