Tempo
|
A+ / A-

GNR deteta 51 infrações por campismo e autocarvanismo ilegais na Costa Vicentina

18 nov, 2021 - 15:44

Este local é habitualmente frequentado por autocaravanistas ao longo de todo o ano, situação que tem motivado queixas às autoridades policiais e ambientais.

A+ / A-

A Guarda Nacional Republicana (GNR) detetou 51 infrações por campismo e autocaravanismo ilegais durante uma operação de fiscalização realizada na terça-feira no Parque Natural do Sudoeste Alentejo e Costa Vicentina, foi anunciado esta quinta-feira.

Do total das infrações, oito estão relacionadas com a prática de campismo selvagem e de autocaravanismo em locais não permitidos e 43 por proibição de apartamento e pernoita, especificou a GNR em comunicado.

A operação decorreu no concelho de Vila do Bispo, no distrito de Faro, com especial incidência no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

Este local é habitualmente frequentado por autocaravanistas ao longo de todo o ano, situação que tem motivado queixas às autoridades policiais e ambientais.

"O campismo e caravanismo ilegal ou irregular em área protegida pode conduzir a uma ocupação excessiva e desordenada de espaços públicos, zonas costeiras e áreas classificadas por autocaravanas e similares, com consequências negativas na paisagem, no ambiente, no ordenamento do território e na saúde pública", lê-se na nota.

A GNR adianta que continuará a sensibilizar os caravanistas e campistas para "a adoção de comportamentos mais responsáveis e amigos do ambiente", especialmente nas áreas protegidas.

A operação foi coordenada pelo Destacamento Territorial de Portimão da GNR, com o apoio do Destacamento de Intervenção de Faro, da Polícia Marítima e dos bombeiros de Vila do Bispo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+