Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Diretor do Curry Cabral quer hospitais envolvidos na vacinação

17 nov, 2021 - 07:31 • Anabela Góis , Filipe d'Avillez

Fernando Maltez diz que é preciso ter cuidados redobrados se os portugueses não quiserem passar o Natal com restrições.

A+ / A-

Veja também:


Se Portugal quer salvar o Natal é preciso acelerar o ritmo de vacinação contra a Covid-19.

O aviso é deixado na Renascença por Fernando Maltez, diretor do serviço de Infecciologia do hospital Curry Cabral.

O médico diz que é preciso organizar melhor a administração das doses de reforço e não percebe porque é que os hospitais não estão envolvidos.

“É preciso acelerar este processo. É preciso uma melhor organização dos serviços que disponibilizam a vacinação. Não percebo porque é que os hospitais não estão a participar e os serviços de saúde que participaram na primeira e segunda dose não podem voltar a estar envolvidos. Presumo que seja por causa dos recursos humanos, mas penso que se poderia evoluir nesse sentido”, considera.

No Curry Cabral os internamentos aumentaram nos últimos dias e, a manter-se esta situação, os óbitos também vão aumentar.

“Se nós queremos ter um Natal descansado temos de nos consciencializar. O número de óbitos é menor, mas os números estão a subir e naturalmente os óbitos irão subir proporcionalmente ao número de novos casos.”

“Temos de nos mentalizar que o vírus está a circular, podem surgir novas variantes que podem desafiar todo o trabalho que já está feito de vacinação e de proteção das pessoas”, diz ainda.

Mesmo que não surjam novas variantes, sublinha Fernando Maltês, a vacina não tem a mesma eficácia ao longo do tempo em todas as pessoas.

Quase um mês depois do inicio da vacinação com terceiras doses de reforço aos maiores de 80 anos ainda há cerca de 200 mil pessoas que não receberam o reforço da vacina contra a Covid-19.

[Notícia corrigida às 10h32]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+