Tempo
|
A+ / A-

Miguel Guimarães

Como evitar a 5.ª vaga? Mais centros de vacinação e controlo de fronteiras

15 nov, 2021 - 20:27 • Henrique Cunha , André Rodrigues

Bastonário da Ordem dos Médicos saúda a convocação pelo primeiro-ministro de uma reunião de peritos no Infarmed para a próxima sexta-feira.

A+ / A-

Veja também:


O bastonário da Ordem dos Médicos defende a abertura de mais centros de vacinação e a melhoria da estratégia de vacinação contra a Covid-19.

Em declarações à Renascença, Miguel Guimarães saúda a convocação pelo primeiro-ministro de uma reunião de peritos no Infarmed para a próxima sexta-feira, face ao avanço dos números da pandemia, mas pede a abertura de "mais centros de vacinação" e defende outros meios para convocar as pessoas para serem imunizadas, e não apenas "chamá-las através de SMS", sobretudo nas faixas etárias mais avançadas.

"É fundamental que haja telefonemas, que as pessoas possam ir tirar dúvidas ao centro de saúde e marcar a vacinação", defende.

Por outro lado, o bastonário da Ordem dos Médicos considera que não deve ser recusada a administração da vacina anti-Covid a quem tenha sido inoculado com a vacina da gripe, poucos dias antes.

Miguel Guimarães diz ter tido conhecimento de casos de pessoas a quem foi dito que, ou faziam as duas vacinas no mesmo dia, ou então faziam uma num dia e a outra 14 dias depois.

"Não! Se podem fazer no mesmo dia, também podem fazer um dia, dois ou três depois", defendeu o bastonário.

No plano da contenção de uma eventual quinta vaga da pandemia, Miguel Guimarães diz ser "importante que se recorra às medidas básicas que tivemos durante o início da pandemia: estamos a falar da máscara facial, estamos a falar do distanciamento e da higienização das mãos, porque estamos numa altura numa altura particularmente difícil, que é a altura do outono/inverno".

E dá exemplos de como as pessoas devem proceder "quando estão em festas, ou em sítios onde está mais gente e o espaço é fechado: usem máscara".

"A última decisão do Governo, que foi em outubro, permitia que as pessoas, nos espaços comerciais de rua, não usassem máscara. Eu acho que as pessoas devem usar a máscara nos espaços todos que sejam fechados", recorda Miguel Guimarães que diz ser, também, necessário adotar medidas que travem a proliferação das variantes da Covid-19.

O bastonário reconhece que, "pelo facto de termos 85% das pessoas vacinadas, a nossa situação é muito menos grave do que nos países que têm uma taxa de vacinação mais baixa, por isso é que nós precisamos de ter um rigoroso controlo de fronteiras. E isso é válido e muito importante, porque, por um lado, temos a situação controlada relativamente aos nossos parceiros que têm as infeções num ritmo bastante acelerado e, por outro lado, estamos a proteger-nos contra as variantes".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    15 nov, 2021 aqui 21:47
    A estratégia de Miguel Guimarães é usar o cargo de bastonário como rampa de lançamento para uma carreira política. O resto é conversa fiada.

Destaques V+