Tempo
|
A+ / A-

Tem menos de 35 anos e quer casa? Ponte da Barca propõe isenção de IMI

15 nov, 2021 - 08:03 • Redação

Medida quer ajudar a fixar os jovens no concelho e destina-se a qualquer aquisição de imóveis destinados a habitação própria e permanente.

A+ / A-

O Município de Ponte da Barca aprovou o “Regulamento Municipal de Incentivo Fiscal à Aquisição de Habitação por Jovens residentes no Município de Ponte da Barca”.

A medida define regras e critérios que permitam a concessão de incentivo fiscal às aquisições, efetuadas por jovens, de imóveis destinados a habitação própria e permanente.

Podem beneficiar da isenção do pagamento de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) as aquisições de imóveis na área do município efetuadas por jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 35 anos.

“Com este incentivos e outros apoios pretendemos que os mesmos contribuam para criação e incentivo de oportunidades ao nível de empreendedorismo, aproveitamento de toda a dimensão turística que dispomos, aliada a uma política de fixação de população no nosso concelho”, explicou o presidente da Câmara, Augusto Marinho, numa nota enviada à Renascença.

A autarquia aprovou, também, o plano municipal de defesa da floresta contra incêndios, que vai agora ser colocado em consulta pública.

Desde que foi aprovado em agosto de 2020, o programa “Emprego Interior MAIS” aprovou 371 candidaturas, que correspondem a 667 pessoas (incluindo candidatos e os membros do agregado familiar), e que representam quase 1,2 milhões de euros em apoios pagos.

O apoio às famílias para proceder à mudança pode ir até 4.827 euros. O distrito mais procurado por quem decidiu mudar do litoral para o interior à boleia deste programa foi o de Castelo Branco, com 20% das candidaturas aprovadas. Seguiram-se Portalegre (10%), Évora (10%) e Guarda (9%).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+