Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Médicos suspendem greves de novembro

06 nov, 2021 - 12:56 • Redação com Lusa

Sindicatos vão solicitar reuniões com os partidos para que "nos programas eleitorais já constem medidas concretas de forma a impedir a degradação dos últimos anos”.

A+ / A-

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) suspendeu as greves agendadas para os dias 23, 24 e 25 de novembro.

A decisão foi tomada numa reunião do Conselho Nacional da Federação, "após cuidada avaliação do contexto atual de crise política, condicionada pela não aprovação do Orçamento do Estado para 2022".

Em comunicado, a FNAM acrescenta que quer "deixar bem claro que a degradação das condições do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e das condições laborais dos médicos mantém-se como um problema grave e com necessidade de resolução urgente".

A Federação adianta que todas as atividades de denúncia e de exigência de defesa dos direitos laborais dos médicos se mantêm e assegurou que envidará todos os esforços de esclarecimento junto das forças políticas e da sociedade civil, neste período de auscultação democrática da população.

Por outro lado, a FNAM assume, desde já, que exigirá uma negociação do seu caderno reivindicativo a qualquer Governo que venha a resultar das próximas eleições, com caráter urgente, e ressalva que não hesitará em retomar, em qualquer momento, as medidas de luta que se venham a revelar necessárias.

O secretário-geral do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) espera que a desconvocação não faça esquecer os partidos dos reais problemas da classe. Roque da Cunha revela que vão solicitar reuniões com os partidos, já a partir de segunda-feira, “para que o apoio e o investimento ao Serviço Nacional de Saúde seja efetivo e explicarmos as necessidades dos médicos, de forma que nos programas eleitorais já constem medidas concretas de forma a impedir a degradação dos últimos anos”, explicou à Renascença.

O Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) foi chumbado em 27 de outubro e, na quinta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições legislativas antecipadas para 30 de janeiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+