Tempo
|
A+ / A-

Detidos ingleses que agrediram patrulha da GNR no Algarve

13 out, 2021 - 13:45 • Lusa

Incidentes aconteceram no interior de um hotel em Vilamoura.

A+ / A-

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve dois ingleses, de um grupo de quatro, que agrediram e ameaçaram de morte dois militares daquela força de segurança no interior de um hotel em Vilamoura, no distrito de Faro.

Numa nota enviada à agência Lusa, a GNR indica que dois ingleses foram detidos por resistência e coação sob funcionário, ameaça, agressão e coação física e furto, após um serviço realizado por dois militares da GNR no Casino de Vilamoura, cerca da 1h30 de domingo.

Segundo esta força de segurança, a patrulha presenciou quatro ingleses, com idades entre os 25 a 32 anos, que pretendiam entrar no Casino de Vilamoura sem máscara de proteção individual, tendo sido proibida a sua entrada pelo porteiro, ao qual reagiram com agressividade e injúrias.

Após esta interpelação à porta do casino, os militares verificaram que os quatro ingleses se deslocaram para o parque de estacionamento de uma unidade hoteleira, tendo sido os dois elementos da GNR avisados pelo vigilante que tinham furtado um objeto de madeira do hotel, o que motivou a abordagem por parte da patrulha aos suspeitos, explica a corporação.

A GNR conta que, quando os militares chegaram ao local, os suspeitos colocaram-se em fuga para o interior do hotel, junto da piscina, onde foram abordados tendo "de imediato reagido agressivamente com ameaças de morte e agressões aos militares, agredindo estes e atirando inclusive, um dos militares para o interior da piscina".

A Guarda Nacional Republicana ressalva que "por os militares se encontrarem em inferioridade numérica e por temerem pela própria vida foi utilizada a arma de fogo, tendo sido efetuados três disparos para o ar e os suspeitos colocado em fuga".

A GNR refere que conseguiu deter dois deles, que permaneceram nas instalações da Guarda até serem presentes ao Tribunal Judicial de Loulé na segunda-feira, que decretou a libertação mediante termo de identidade e residência.

Segundo a GNR, os dois militares apresentaram ferimentos na cabeça, tronco e membros resultantes das agressões que careceram de tratamento hospitalar, onde foi diagnosticado, para além de hematomas e diversas escoriações, duas fraturas na mão a um deles.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • José J. C. CruzPinto
    13 out, 2021 ILHAVO 13:17
    Somos de facto "os melhores do mundo" em tudo, incluindo no exercício da autoridade! E somos dos mais seguros países do mundo, não somos? Sendo-se nacional ou residente (que sorte!), é fácil ser-se sovado pela autoridade, com ou sem justificação. Mas, se se for turista, especialmente britânico, são sovadas e ridicularizadas as autoridades, libertados quem tiver a má sorte de ser preso, fugindo todos os restantes (via aeroporto, porventura nas barbas do mesmo SEF que pode agredir e matar imigrantes). Somos geniais! Ninguém, absolutamente ninguém, nos consegue igualar.

Destaques V+