Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Há 150 mil alunos com, pelo menos, um professor em falta

23 set, 2021 - 10:45 • Fátima Casanova

Levantamento foi feito a partir das listas de horários por preencher e está no blogue DeAr Lindo, especializado em educação.

A+ / A-

Informática, Geografia, Física e Inglês são as disciplinas com mais horários por preencher. Lisboa, Setúbal e Faro os distritos mais afetados pelas falhas.

Este levantamento foi feito a partir das listas de horários por preencher e está no blogue DeAr Lindo, especializado em educação.

Ainda que não seja um problema extensível a todo o país, a falta de docentes continua a agravar-se em várias regiões e disciplinas: mais de 150 mil alunos do básico e secundário têm, pelo menos, um professor em falta, uma semana depois do arranque de novo ano letivo.

De acordo com a mesma publicação, assinada pelo professor de Matemática Davide Martins, Lisboa, Setúbal e Faro são os distritos mais afetados e as disciplinas com mais horários por preencher são Informática, Geografia, Física e Inglês.

Informática com horários completos por preencher

Segundo o site Escolas Perto de Mim, há 229 horários que correspondem a necessidades de professores de Informática. Uma situação que está a preocupar os diretores das escolas.

David Sousa, vice-presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, diz à Renascença haver “horários completos por atribuir”, acrescentando que “há zonas do país onde é recorrente haver dificuldades em colocar professores”, nomeadamente a zona de Lisboa e do Algarve.

Este responsável da ANDAEP avança que a maior dificuldade reside, no entanto, em contratar para horários temporários, porque “ir trabalhar um mês para uma escola a 400 ou 500 quilómetros de distância e ter despesas com renda de outra casa fazem muitas vezes com que, apesar de haver professores para colocar, eles recusam o lugar”.

David Sousa defende, por isso, “medidas articuladas com o Governo e poder local” que facilitem a colocação de professores. Outra possibilidade “seria criar um subsídio de deslocação que atenuasse as despesas” que estes profissionais têm quando aceitam ir para uma escola longe do local de residência.

De acordo com o site Escolas Perto de Mim, que reúne as ofertas em contratação de escola, existem hoje 1.247 horários em 435 escolas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Reconhecem?
    26 set, 2021 Gil Vicente 12:35
    Sem contar com aqueles que descontentes com a direção da Escola, concorrem à mobilidade para se verem livres de prepotentes esclavagistas...

Destaques V+