Tempo
|
A+ / A-

Parentalidade

Governo quer aumentar licença parental para 90% se o pai gozar dois meses

17 set, 2021 - 20:35 • Lusa

Aumento do subsídio parental de 83% para 90% está previsto no documento apresentado esta sexta-feira aos parceiros sociais pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A+ / A-

O Governo propôs esta sexta-feira aos parceiros sociais um aumento do valor do subsídio parental, de 83% para 90% da remuneração de referência, desde que o pai goze pelo menos 60 dias dos 180 do total da licença.

A medida está prevista no documento apresentado esta sexta-feira na Concertação Social pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, no âmbito da discussão da “Agenda do Trabalho Digno e de Valorização dos Jovens no Mercado de Trabalho”.

“O Governo propõe o aumento do subsídio parental inicial de 83% para 90% no caso de opção pelo período de licença de 180 dias, quando o pai gozar pelo menos 60 dias do tempo total de licença, sem alterar o quadro de duração máxima da licença”, pode ler-se no documento.

Também já no documento apresentado em julho aos parceiros sociais, o Governo tinha anunciado que iria reforçar os incentivos à partilha entre homens e mulheres do gozo das licenças parentais “designadamente através da majoração progressiva do valor dos subsídios”.

Outra das medidas apresentadas passa por “aumentar o montante do subsídio parental alargado de 25% para 35% nos casos em que exista partilha, neste caso em períodos iguais, entre homens e mulheres”.

O subsídio parental alargado é um apoio dado aos pais por um período até três meses, após os 180 dias da licença parental inicial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+