Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Especialistas recomendam plano de "reforço massivo da vacinação"

16 set, 2021 - 17:41 • Redação

“Estamos numa situação muito confortável, mas há ameaças a que devemos estar atentos às ameaças”, disse Raquel Duarte, na reunião no Infarmed.

A+ / A-

Veja também:


Portugal deve começar a preparar a administração da terceira dose da vacina para a Covid-19, defende Raquel Duarte, da ARS Norte e Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

“Estamos numa situação muito confortável, mas há ameaças a que devemos estar atentos às ameaças”. Temos população envelhecida e somos um destino turístico e laboral, o que nos expõe a novas variantes, disse a especialista.

“De uma forma geral, devemos continuar a apostar na vacinação e antecipar desde já a eventual necessidade do reforço massivo da vacinação", apela Raquel Duarte.

A responsável considera que é necessário estabelecer "um plano que garanta que este processo não fique apenas a cargo dos cuidados de saúde primários, porque isso pode condicionar a capacidade global da resposta em termos de saúde e manter as estratégias que se mostraram eficazes: o fácil acesso, o envio de mensagens, as equipas de proximidade, entre outras”.

A médica pneumologista recomenda, também, que nos próximos meses o certificado digital continue a ser obrigatório apenas em situações de maior risco.

O "passe verde" deve continuar a ser obrigatório em "circunstâncias de maior risco que justifiquem o acréscimo de multicamadas protetores", nomeadamente em lares de idosos e no controlo de fronteiras, defende Raquel Duarte.

Como tal, é também pedido que o acesso ao certificado seja "fácil, universal e gratuito", sublinhou.

Os especialista defendem também a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+