Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: "Task-force" apela à vacinação dos migrantes, regularizados ou não

06 set, 2021 - 16:35 • Lusa

Para acederem à vacina os migrantes precisam apenas de serem "detentores de um documento válido que os permita identificar".

A+ / A-

Veja também:


A "task-force" para a vacinação contra a covid-19 apelou hoje a todos os migrantes que ainda não foram vacinados, para o fazerem, independentemente da regularização da sua situação de permanência em Portugal.

Em comunicado, a "task-force" que coordena o processo de vacinação explica que para acederem à vacina os migrantes precisam apenas de serem "detentores de um documento válido que os permita identificar".

"Todos os centros de vacinação estão na modalidade de casa aberta, sem restrições ao local de residência. Nesta fase, os horários da modalidade Casa Aberta coincidem com os horários de abertura dos respetivos Centros de Vacinação", adianta a "task-force".

Segundo o comunicado, "esta possibilidade decorre do muito positivo processo de vacinação contra a covid-19 em Portugal, de que resulta uma maior disponibilidade nos vários centros de vacinação abertos".

Portugal conta mais 663 casos confirmados de Covid-19 e 12 óbitos associados à doença, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), nesta segunda-feira.

Foi na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) que ocorreu a maioria das mortes: seis. Segue o Norte (3), a região Centro (2) e o Algarve (1).

O número de pessoas internadas subiu, quer em enfermaria (mais 17, para 682) quer nos cuidados intensivos (mais duas, para 140).

A covid-19 provocou pelo menos 4.565.622 mortes em todo o mundo, entre mais de 220,65 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+