Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Portugal doa mais 200 mil vacinas a Angola

01 set, 2021 - 21:55 • Lusa

As vacinas vão ser entregues pelo Encarregado de Negócios da Embaixada de Portugal em Angola, José Manuel Correia, à ministra angolana da Saúde, Sílvia Lutucuta, na quinta-feira às 21h30, no Aeroporto 4 de Fevereiro.

A+ / A-

Portugal vai entregar a Angola na quinta-feira mais 200 mil doses de vacinas da AstraZeneca, totalizando assim quatro lotes com 570 mil doses, anunciou a embaixada de Portugal em Luanda.

O apoio de Portugal ao Plano Nacional de vacinação contra a Covid-19 de Angola iniciou-se em julho, tendo sido entregues outros três lotes de vacinas num total de 370 mil doses, a que se vão juntar mais 200 mil vacinas, acompanhadas do material necessário para a sua administração.

As vacinas vão ser entregues pelo Encarregado de Negócios da Embaixada de Portugal em Angola, José Manuel Correia, à ministra angolana da Saúde, Sílvia Lutucuta, na quinta-feira às 21h30, no Aeroporto 4 de Fevereiro.

O governo português assumiu o compromisso de disponibilizar cerca de três milhões de doses de vacinas os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e a Timor-Leste no âmbito do Plano de Ação na resposta sanitária à Pandemia Covid-19.

"A operacionalização desta ação é resultado do esforço conjunto do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, designadamente através do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua e da Embaixada de Portugal em Luanda, e do Ministério da Saúde de Portugal, através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (INFARMED) e da Task Force do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 em Portugal", indica o comunicado da Embaixada.

Nas últimas semanas, além de Portugal, outros países como Estados Unidos e Reino Unido fizeram chegar doações de vacinas a Angola.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+