Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Faltam médicos nas urgências em Setúbal. "É uma situação inadmissível"

25 ago, 2021 - 08:50 • Lusa

O alerta é do Sindicato Independente dos Médicos, segundo o qual as escalas de urgência de medicina interna "estão longe de cumprir os níveis de segurança necessários".

A+ / A-

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) diz nesta quarta-feira que a falta de clínicos no hospital de Setúbal está a pôr em risco a segurança das urgências e apelou ao encerramento deste serviço quando "os critérios mínimos não estejam assegurados".

Segundo o sindicato, as escalas de urgência da especialidade de medicina interna no Hospital São Bernardo, em Setúbal, "estão longe de cumprir os níveis de segurança necessários, com "vários dias ao longo do mês de agosto" com "menos de metade (nalguns casos menos de um terço) dos clínicos exigidos pelos critérios mínimos definidos pela Ordem dos Médicos".

"Esta é uma situação inadmissível e que coloca em risco a segurança na prestação de cuidados à população", lê-se num comunicado do SIM enviado à agência Lusa.

O sindicato pede, neste contexto, à direção clínica do hospital e à direção do serviço de Urgência "que, quando os critérios mínimos não estejam assegurados, comuniquem com o INEM e encerrem a urgência".

Por outro lado, "exige ao Governo e à ARS [Área Regional de Saúde] Lisboa e Vale do Tejo a contratação de médicos" para o hospital de Setúbal.

"O SIM recusa-se a aceitar a constante desvalorização do C. H. [Centro Hospitalar] Setúbal, por falta de investimento e apela fortemente a que haja atos em vez de palavras", lê-se no comunicado, que lembra que "os problemas" nas urgências deste hospital "são crónicos e amplamente conhecidos, estando rotineiramente presentes na comunicação social".

A pandemia agravou a situação, segundo o SIM, por causa da "necessidade de aumentar o número de espaços físicos para prestação de assistência", bem como pela necessidade recente de abrir uma segunda unidade de cuidados intensivos no hospital, "mantendo a escala diária de dois médicos como previamente".

Além dos apelos dirigidos aos responsáveis pelo hospital de Setúbal, ao Governo e à ARS Lisboa e Vale do Tejo, o sindicato diz que enviou o comunicado para o presidente da Secção Regional Sul da Ordem dos Médicos "no sentido de serem tomadas as necessárias providências".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Isabel Pereira
    09 mai, 2022 Monthey 16:58
    O Hospital de Setubal não tem serviço a utentes bem que nos digam o contrário. Horas a telefonar para o Hospital. A central passa a chamada mas ninguém responde. As pessoas entram nas urgências e mais ninguém da família sabe o que se está a passar. Devo dizer que é uma vergonha. O serviço Nacional de saúde não presta. Portugal país da União europeia está muito abaixo da média europeia. Não enganem mais ninguém. A situação é crítica.

Destaques V+