Tempo
|
A+ / A-

SEF. Inspetores anunciam greve e protesto para sexta-feira

07 jul, 2021 - 08:03 • Lusa

Protesto é agendado para o dia que a Assembleia da República debate a proposta do Governo que "extingue" este serviço de segurança.

A+ / A-

O sindicato que representa os inspetores do SEF anunciou uma greve e uma manifestação junto à Assembleia da República para sexta-feira, quando é debatida a proposta do Governo que "extingue" este serviço de segurança.

"O agendamento da extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras para o plenário da Assembleia da República no dia 9 de julho leva o Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras a anunciar uma nova greve e uma manifestação à porta do parlamento nesse mesmo dia 09 de julho", refere aquele sindicato, numa nota enviada à Lusa.

O Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF/SEF) precisa que a greve é decretada em todos os locais de trabalho, pelo que, entre as 00h00 e as 24h00 de sexta-feira, "será suspensa toda a atividade do serviço", sendo apenas mantidos os serviços mínimos.

A proposta de lei do Governo que define a passagem das competências policiais do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras para a PSP, GNR e Polícia Judiciária, alterações feitas no âmbito da reestruturação do SEF, vão ser discutidas na sexta-feira no parlamento.

O sindicato considera que a proposta que o Governo vai levar à Assembleia da República "para extinguir o SEF divide em parcelas informação crítica, politiza o acesso a dados, militariza e criminaliza ainda mais a imigração", apelando aos partidos da oposição para que "não deixem passar uma das piores leis alguma vez apresentada".

Para o sindicato, o Governo "ao distribuir as competências do SEF por mais do que uma polícia divide em parcelas informação crítica para a segurança do país e da União Europeia", além de as dividir por seis entidades e "algumas ainda por criar".

O sindicato já enviou um pedido de audiência ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para expressar as suas preocupações com a intenção do Governo extinguir o SEF, um serviço com 35 anos de existência.

A proposta de lei visa a reformulação das forças e serviços de segurança que, nos termos da lei, exercem a atividade de segurança interna, alterando a Lei de Segurança Interna, a Lei de Organização da Investigação Criminal e as leis orgânicas da GNR e PSP.

Com estas alterações, as funções policiais da competência do SEF, nomeadamente o controlo das fronteiras e a investigação criminal de crimes como o tráfico de seres humanos e o auxílio à imigração ilegal, passam para a GNR, PSP e PJ, enquanto órgãos de polícia criminal.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sempre o mesmo
    07 jul, 2021 E mais do mesmo 08:48
    Continuam com a treta da greve de 1 dia encostada ao fim-de-semana... Depois admiram-se de cada vez haver menos sindicalizados ...

Destaques V+