Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Madeira quer vacinar jovens entre 12 e 15 anos

05 jul, 2021 - 00:25 • Redação com Lusa

O presidente da associação de diretores de agrupamentos e escolas públicas concorda com esta posição e aguarda rapidez na medida do governo para alargar a todo o país antes do início do ano letivo.

A+ / A-

Veja também:


O Governo da Madeira pretende concluir o processo de administração da vacina contra a Covid-19 a jovens entre os 12 e 15 anos antes do início do próximo ano letivo, anunciou este domingo o secretário da Saúde do arquipélago.

Pedro Ramos falava aos jornalistas no decorrer da visita que efetuou com o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, ao centro de vacinação do Funchal, instalado no Madeira Tecnopolo.

O governante realçou que a Agência Europeia do Medicamento já deu a autorização para a vacinação abaixo dos 18 anos, com a utilização das vacinas da Pfizer, podendo o mesmo acontecer com outras que “têm o mesmo mecanismo de ação”, como a da Moderna.

“Estamos à espera que a Direcção-Geral de Saúde tome a sua posição e a partir desse momento todos os nossos jovens serão vacinados antes do início do ano letivo”, declarou o responsável do executivo insular.

Pedro Ramos salientou que a Madeira “continua em busca de atingir o objetivo da proteção completa, o que provavelmente será atingido em setembro”.

O presidente da associação de diretores de agrupamentos e escolas públicas, Filinto Lima, considera, na Renascença, que o Governo deve seguir o exemplo da Madeira.

“A vacinação é o método mais eficaz para evitar a propagação da pandemia. Temos de manter – sobretudo nas escolas – as regras e os procedimentos que os nossos alunos e professores estão a cumprir. Parece-me positiva a iniciativa da Madeira e gostaria que fosse transportada para o continente e levada a cabo no mais curto de espaço tempo possível”, refere Filinto Lima.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+