Tempo
|
A+ / A-

A6. Aberto inquérito a morte de trabalhador atropelado por carro de ministro

22 jun, 2021 - 10:40 • Lusa

A vítima, de 43 anos, foi atropelada quando fazia a manutenção da via. Acidente aconteceu por volta das 13h00, ao quilómetro 77, na zona do concelho de Évora.

A+ / A-

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da morte do trabalhador atropelado na autoestrada A6, no Alentejo, na sexta-feira, pelo carro que transportava o ministro da Administração Interna.

Questionada pela agência Lusa através de correio eletrónico, fonte da Procuradoria-Geral da República (PGR) indicou que, "como sempre acontece neste tipo de situações", ou seja, em acidentes rodoviários com mortos, "foi determinada a instauração de inquérito com vista a apurar as circunstâncias da morte".

O inquérito "corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora", acrescentou.

Em comunicado divulgado na sexta-feira, o Ministério da Administração Interna (MAI) anunciou que uma pessoa tinha morrido atropelada na A6, num acidente envolvendo o carro que transportava o ministro Eduardo Cabrita.

"No regresso de uma deslocação oficial a Portalegre, a viatura que transportava o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, sofreu um acidente de viação, do qual resultou a morte, por atropelamento, de um cidadão, na autoestrada A6", referia o mesmo comunicado.

Fonte do Comando Territorial de Évora da GNR revelou que a pessoa atropelada era um trabalhador, de 43 anos, que fazia a manutenção da via.

O acidente nesta autoestrada, que liga Marateca à fronteira do Caia, em Elvas (distrito de Portalegre), ocorreu "por volta das 13h00", ao quilómetro 77, na zona do concelho de Évora, no sentido Évora - Lisboa, confirmou a mesma fonte.

O homem, trabalhador de uma empresa que realizava trabalhos de manutenção da via, ainda "foi assistido", mas "acabou por falecer no local", assinalou fonte do CDOS.

No sábado, o MAI esclareceu que não existia sinalização para alertar os condutores dos "trabalhos de limpeza em curso" na autoestrada A6 quando a viatura do ministro atropelou mortalmente um trabalhador.

O MAI disse então que o veículo "não sofreu qualquer despiste" e "circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    22 jun, 2021 aqui 12:56
    Há alguns anos atrás estava a circular pela A23 e o meu carro ia sendo abalroado pela comitiva do então presidente Cavaco Silva que circulava provavelmente a uns 200km/h. Na altura fiquei muito indignado porque não me lembro de estudar no Código da Estrada que os titulares de cargos públicos podem infrigir os limites de velocidade. Supostamente, a lei devia ser igual para todos, mesmo para o Presidente da República.

Destaques V+