Tempo
|
A+ / A-

Teletrabalho obrigatório nos quatro concelhos que não avançam no desconfinamento

09 jun, 2021 - 15:00 • Redação

[em atualização]

A+ / A-

Veja também:


A partir de segunda-feira, o teletrabalho vai continuar a ser obrigatório apenas nos quatro concelhos que não avançam no desconfinamento: Lisboa, Braga, Odemira e Vale de Cambra.

A medida foi avançada pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final da reunião do Conselho de Ministros desta quarta-feira.

"Deixa de existir a obrigatoriedade do teletrabalho a nível nacional", disse a governante. Mariana Vieira da Silva acrescentou que a obrigatoriedade do teletrabalho "permanece em duas situações": em relação às pessoas imunodeprimidas e "nos quatro concelhos que não avançam no desconfinamento" nas atividades em que o teletrabalho é possível.

O Governo aprovou alterações à estratégia de testagem para a Covid-19.

Haverá duas novas regras, adiantou em conferência de imprensa a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

A primeira passa pela "necessidade de testagem de empresas com mais de 150 trabalhadores no mesmo local de trabalho".

O acesso a eventos desportivos, culturais e familiares também será sujeito a testes, a partir de determinado número de participantes que será definido pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O Governo renovou a situação de calamidade até 27 de junho, revelou a ministra Mariana Vieira da Silva, após o Conselho de Ministros desta quarta-feira.

Braga, Odemira, Lisboa e Vale de Cambra não avançam no desconfinamento.

Já dez concelhos ficam alerta: Albufeira, Paredes de Coura, Sesimbra, Sintra, Sertã, Alcanena, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé e Santarém.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+