Tempo
|
A+ / A-

Pelo menos dois portugueses impedidos de entrar no Reino Unido

17 mai, 2021 - 10:40 • Lusa

Na sequência do Brexit, desde 1 de janeiro que cidadãos da UE deixaram de poder viajar para o Reino Unido para trabalhar sem possuir um visto de trabalho ou de estudante ou o estatuto de residente.

A+ / A-

Pelo menos dois cidadãos portugueses foram impedidos de entrar no Reino Unido por falta de visto de trabalho, tendo um deles sido detido temporariamente, confirmou a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas.

"Os postos consulares de Portugal no Reino Unido foram notificados do caso de um cidadão nacional que foi temporariamente detido e impedido pelos serviços de controlo fronteiriço de permanecer em território britânico, após tentativa de entrada no país para trabalhar sem dispor de visto para o efeito", indicou fonte oficial.

Um outro português, acrescentou, não ficou detido, mas foi impedido de entrar no país pelos mesmos motivos.

"Os dois cidadãos nacionais foram acompanhados pelos serviços consulares, tendo os dois casos constituído objeto de interlocução com as autoridades britânicas. Estes cidadãos nacionais foram informados de que teriam de regressar a Portugal, como veio a suceder", indicou ainda.

O site “Politico” noticiou há duas semanas atrás que dezenas de cidadãos europeus de várias nacionalidades estavam a ser detidos nos aeroportos ou colocados vários dias em centros de detenção temporária vários dias até serem deportados.

O jornal “The Guardian” noticiou na semana passada que alguns dos europeus afetados tinham entrevistas de emprego, o que as normas do Governo britânico permitem.

Na sequência do Brexit, desde 1 de janeiro que cidadãos da União Europeia (UE) deixaram de poder viajar para o Reino Unido para trabalhar sem possuir um visto de trabalho ou de estudante ou o estatuto de residente.

Os cidadãos europeus podem entrar no Reino Unido sem visto e permanecer até 90 dias se for para turismo. Porém, os agentes dos serviços de controlo fronteiriço podem recusar a entrada se tiverem motivos razoáveis para suspeitar que pretendem ficar no país sem a documentação necessária, tal como já acontecia com imigrantes de outros países.

Entretanto, o Ministério do Interior atualizou as instruções às forças de segurança para que cidadãos estrangeiros nesta situação possam ser libertados sob fiança se tiverem um local onde ficar.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+