Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Madeira retoma vacinação após paragem de duas horas

17 mai, 2021 - 17:59 • Lusa

A campanha de vacinação foi interrompida durante a tarde porque algumas embalagens das vacinas da Pfizer apresentaram sinais de humidade externa.

A+ / A-

Veja também:


A vacinação contra a covid-19 na Madeira foi retomada esta segunda-feira à tarde, depois de ter sido interrompida durante duas horas devido a sinais de humidade externa em algumas embalagens da Pfizer, indicou o secretário regional da Saúde.

"Tivemos, de facto, um problema no transporte com duas caixas, em que houve rotura do invólucro de papelão junto às pegas, mas a temperatura manteve-se sempre adequada para as vacinas da Pfizer, abaixo dos 70 graus negativos", disse Pedro Ramos.

O governante falava à margem da apresentação da campanha "A pandemia ainda não acabou - faça o seu teste", no Funchal.

Pedro Ramos explicou que, após uma paragem de cerca de duas horas, a vacinação foi retomada em dois dos três locais onde decorria hoje: no Centro de Vacinação do Funchal e no Centro de Saúde de Machico, na zona leste da ilha.

Na Ribeira Brava, zona oeste da Madeira, o processo foi reagendado para domingo.

De acordo com os últimos dados divulgados pelas autoridades de saúde da Madeira, já foram administradas na região 122.456 vacinas.

O último boletim epidemiológico difundido no domingo pela Direção Regional da Saúde (DRS) indicava que tinham sido diagnosticados no arquipélago oito novos casos de covid-19, existindo 252 situações ativas e 233 em estudo, mantendo a região 71 óbitos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.009 pessoas dos 842.381 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+