Tempo
|
A+ / A-

Dos exames ao fim do ano letivo. Conheça as mudanças ao calendário escolar

12 fev, 2021 - 13:03 • Marta Grosso

Pré-escolar, primeiro e segundo ciclos do ensino básico terminam as aulas em 8 de julho. Mais cedo acabam os restantes anos de escolaridade, entre 18 e 23 de junho. Quanto a exames, também há alterações, anunciadas na Renascença pelo ministro da Educação, entre outras.

A+ / A-
Ministro da Educação à Renascença. Exames adiados e mais computadores para a semana
Ministro da Educação à Renascença. Exames adiados e mais computadores para a semana

Foi publicado, nesta sexta-feira, o novo calendário escolar para este ano letivo, que teve de sofrer alterações devido à pandemia de Covid-19.

Segundo o que já tinha sido divulgado, as férias do Carnaval foram anuladas e as férias da Páscoa são de apenas quatro dias (e não de duas semanas, como é costume).

Quanto ao fim das aulas, depende do ano de escolaridade. Assim:

  • pré escolar e dois ciclos do ensino básico terminam em 8 de julho
  • 7.º, 8.º e 10.º anos em que não haja exames terminam em 23 de junho
  • 9.º, 11.º e 12.º anos terminam no dia 18 de junho.

Quanto aos exames, o ministro da Educação anunciou, nesta manhã, na Renascença, que as provas de aferição – à exceção de Educação Física e Expressões Artísticas - se mantêm-se e realizam entre os dias 14 e 21 de junho.

As provas de Educação Física e Expressões Artísticas foram canceladas e a componente oral da prova de inglês de 5.º ano será feita entre 27 de maio e 9 de junho.

Anote ainda estas datas:

Provas finais do 9.º ano

1.ª fase: 28 de junho a 2 de julho (afixação de resultados a 19 de julho)

2.ª fase: 21 a 23 de julho (afixação de resultados a 3 de agosto).

Exames finais nacionais do ensino secundário

1.ª fase: 2 a 16 de julho (afixação de resultados a 2 de agosto)

2.ª fase: 1 a 7 de setembro (afixação de resultados a 16 de setembro).

Depois de suspensas a 22 de janeiro, devido ao avanço da pandemia de Covid-19, as aulas foram retomadas no dia 8 de fevereiro, mas à distância. Na entrevista que deu nesta manhã, no programa As Três da Manhã, o ministro Tiago Brandão Rodrigues não avançou com uma previsão para a retoma do ensino presencial, mas garantiu que “todos os dias” trabalha “para pensar como poderemos regressar às aulas”.

Quanto aos exames para acesso ao ensino superior, as datas vão ser divulgadas mais tarde.

Férias baralhadas

Para semana seria de pausa letiva para o Carnaval, mas tal não irá acontecer. Porque já descansaram antes, as férias previstas para o período entre 15 e 17 de fevereiro não vão acontecer – os alunos terão aulas toda a semana.

As atenções passam, então, para o período da Páscoa, em março. Este ano, os alunos terão direito a férias entre 29 de março e 1 de abril, sendo que dia 2 é Sexta-feira Santa e, por isso, feriado.

No plano inicial para este ano letivo, as férias da Páscoa estavam previstas entre 25 de março a 5 de abril.

Em resumo, os três períodos letivos ficam assim:

Primeiro período: entre 14 e 17 de setembro de 2020 a 18 de dezembro de 2020

Segundo período: de 4 de janeiro de 2021 a 26 de março de 2021

Terceiro período: de 5 de abril de 2021 a 18 de junho/23 de junho/8 de julho de 2021

Na entrevista que deu à Renascença, Tiago Brandão Rodrigues justificou a pausa letiva obrigatória, entre 22 de janeiro e 5 de fevereiro, com o facto de não se estar ainda perto do final do ano letivo e, assim, poder-se ter mais aulas presenciais quando as escolas reabrirem.

“Nós não sobrevalorizamos excessivamente o ensino à distância e o que nos disseram os pais e diretores é que ainda estamos num momento em que podemos compensar com dias presenciais”, afirmou.

“Como não estávamos no final do ano ou mesmo a aproximar-nos do final do ano, ainda tínhamos a possibilidade de fazer aqui uma pausa letiva – aliás, outros países fizeram exatamente a mesma coisa, como, por exemplo, a Alemanha – de duas semanas, que serão compensadas com dias no Carnaval, na Páscoa e no final do ano”, disse ainda.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+