Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus

Ministério Público acusa homem que furou isolamento para ir ao hospital de Guimarães

10 fev, 2021 - 19:46 • Lusa

O cidadão foi ao hospital para saber do estado de saúde de um familiar.

A+ / A-

Veja também:


O Ministério Público (MP) de Guimarães acusou um homem de um crime de desobediência, por se ter deslocado ao hospital daquela cidade numa altura em que se encontrava obrigado a confinamento, por apresentar sintomas compatíveis com a Covid-19.

Em nota publicada esta quarta-feira na sua página, a Procuradoria-Geral Regional do Porto refere que o arguido tinha sido classificado como "caso suspeito" pela autoridade de saúde.

Por isso, foi colocado em vigilância ativa e informado, por telefone e por e-mail, de que passava a encontrar-se, de 7 a 17 de maio de 2020, em confinamento obrigatório, na sua residência.

Segundo o Ministério Público, o arguido, contrariando a obrigação que lhe tinha sido imposta, saiu da sua residência na cidade de Fafe, no dia 16 de maio, e deslocou-se até ao Hospital de Guimarães, para se inteirar do estado de saúde de familiar que para ali havia sido transportado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+