Tempo
|
A+ / A-

Há bilhetes grátis para o Dia da Educação no "Building the Future"

27 jan, 2021 - 18:17 • Sandra Afonso

O evento, que termina nesta quinta-feira, é patrocinado pela Microsoft e pela iMatch e visa “estimular a reflexão sobre os modelos de ensino e aprendizagem e trazer respostas aos atuais desafios”.

A+ / A-

Este ano, há bilhetes grátis para o Dia da Educação no maior evento tecnológico do ano. O “Building The Future termina nesta quinta-feira, com o Edu Day, dedicado ao ensino e que traz duas novidades: é 100% online e está a distribuir cinco mil entradas gratuitas para a comunidade educativa.

A iniciativa, patrocinada pela Microsoft e pela iMatch, visa “estimular a reflexão sobre os modelos de ensino e aprendizagem e trazer respostas aos atuais desafios”. Em cima da mesa está a transformação digital da educação, um processo que já conheceu um grande impulso na primeira fase da pandemia, diz à Renascença Sandra Martinho, diretora da Área de Educação e Filantropia da Microsoft Portugal.

Em março, “conseguimos sentir uma adesão muito significativa e uma vontade muito grande de tirar partido, de um momento que não é feliz, mas tirar partido dele de uma forma positiva”, refere.

“Os professores estão cada vez mais preparados e estão a preparar também os alunos para conseguirem dar resposta a estes desafios, designadamente com as soluções que nós, Microsoft, temos disponíveis para as escolas darem estes passos”, diz Sandra Martinho.

Na edição deste ano do “Building The Future” (BTF), a terceira, a organização quer “dar resposta a estes desafios, trazer estas soluções, dizer aos professores como é que se faz esta transformação, fruto da nossa experiência mundial com outros países.”

Ainda há muito trabalho a fazer, admite Sandra Martinho. “Só com a transformação da educação vamos conseguir preparar os jovens para as necessidades das empresas, com as competências que nós sabemos hoje em dia que já são exigidas e que são designadas competências século XXI. Pasme-se, estando nós no século XXI! Ou seja, já as devíamos ter adquirido, já devíamos estar a falar no século XXII”, defende.

Não há tempo a perder, “são estas competências que as empresas precisam, por que o mercado grita e a educação tem que reinventar o seu currículo também, tem que trazer aqui novas temáticas, para garantir que ninguém fique para trás e ninguém seja excluído, que são duas circunstâncias diferentes”, remata Sandra Martinho.

100% online

Devido à pandemia, os trabalhos vão decorrer todos à distância, o que é um desafio, mas também uma porta de entrada.

Sandra Martinho assegura que o lado social do evento não ficou de fora: “conseguimos, com esta plataforma, gerar um movimento entre as pessoas, trazermos para o virtual algo que, se calhar, achávamos que não era concretizável, porque ainda estávamos longe de o fazer, mas vemos hoje que temos uma capacidade muito superior e que vai muito mais além daquilo que seria o presencial”.

Mesmo separados por um monitor e um teclado, à distância de uma câmara, os participantes podem “estabelecer contactos que se calhar achávamos que eram improváveis, aceder de uma forma mais sistemática e organizada à possibilidade de agendar reuniões, ter uma conversa informal, deixar para mais tarde, rever precisamente aquilo que são as sessões que vamos depois apresentar. Há todo um novo mundo que se abre e o networking vai ficar seguramente mais reforçado”, conclui Sandra Martinho.


Digital reforça cartaz

Este formato digital tem outra vantagem: nomes que antes dificilmente estavam disponíveis, agora estão mais acessíveis, porque não são necessárias deslocações.

“Tivemos uma adesão muito feliz, sem qualquer tipo de obstáculo”, admite a diretora da Área de Educação e Filantropia da Microsoft Portugal.

Estudantes, professores e restante comunidade educativa vão ter acesso a sessões exclusivas com CEO de grandes empresas, como:

  • Julie White (corporate VP da Microsoft)
  • John Elkann (presidente da holding EXOR e da Fiat Chrysler Automobiles e chairman da Ferrari)
  • José Neves (CEO da Farfetch e fundador da Fundação José Neves)
  • Tupac Martir (fundador do Satore Studio)
  • Aubrey de Grey (cientista e investigador na área do envelhecimento).

Um bilhete para o emprego de sonho

Os participantes podem candidatar-se ainda ao “dream job”, uma iniciativa que se repete pelo segundo ano. Chama-se “Job Pitch Challenge” e destina-se a estudantes que estejam a terminar a licenciatura ou recém-licenciados à procura de emprego.

É uma espécie de “Shark Tank” para estudantes, que no ano passado contou com mais de 500 entrevistas e mais de 30 empresas recrutadoras.

Os candidatos podem “contactar diretamente com os decisores de algumas das maiores empresas nacionais e internacionais presentes no “Building the Future”, como a Microsoft, a Lóréal, a DXC, a Unipartner, a Vodafone, a Axians, a Capgemini e a Everis.

Os selecionados têm 10 minutos para impressionar CEOs e ‘top managers’ das empresas envolvidas.

Quem vencer terá oportunidade de “passar um dia com o CEO, acesso a programas de estágios e open days.”

Para aceder ao evento, basta ir ao site do “Building The Future”. Para utilizar um dos acessos gratuitos, só tem de introduzir um dos dois códigos: ACADEMIABTF2021 (para membros da comunidade educativa) ou STUDENTBTF2021 (para estudantes).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+