Tempo
|
A+ / A-

Covid-19. Sobe para quatro o número de mortos no Lar de Argozelo em Vimioso

14 dez, 2020 - 14:03 • Lusa

Vítima é uma mulher na casa dos 80 anos, que tinha outras patologias associadas.

A+ / A-

Veja também:


O lar de Argozelo, no concelho de Vimioso, distrito de Bragança, registou a quarta vítima mortal infetada com SARS-CoV-2, "uma mulher na casa dos 80 anos", avançou esta segunda-feira o presidente da câmara.

"Temos lamentar mais uma vítima mortal. Trata-se de uma mulher na casa dos 80 anos que tinha outras patologias", explicou à Lusa Jorge Fidalgo.

O autarca disse que a utente do lar morreu no domingo vítima da infeção provocada pelo novo coronavírus.

O lar de Argozelo tem todos os 21 utentes infetados pelo novo coronavírus.

Entre os colaboradores da instituição, há oito casos positivos de covid-19 incluindo um profissional de saúde.

Este lar do Centro Social Nossa Senhora das Dores já havia registado a morte de três utentes com 84, 89 e 90 anos, todas com outras patologias associadas à covid-19.

O lar já foi sujeito a vários processos de desinfeção levado a cabo pela Proteção Civil Municipal.

O primeiro caso detetado no Lar do Centro Social Nossa Senhora das Dores, em Argozelo, aconteceu no dia 02 de dezembro.

Portugal contabiliza pelo menos 5.559 mortos associados à covid-19 em 348.744 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 23 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo, e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+