Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

"Concentração anormal" em Guimarães leva PSP a pedir que Festas Nicolinas sejam celebradas em casa

29 nov, 2020 - 21:36 • Redação com Lusa

Festas associadas ao culto de São Nicolau são organizadas por estudantes e desenrolam-se ao longo de cerca de uma semana. Este ano, devido à pandemia da covid-19, as festas decorrem de forma diferente da habitual e sem o tradicional cortejo.

A+ / A-

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Braga apelou, este domingo, para que as Festas Nicolinas, que se celebram tradicionalmente em Guimarães a partir da noite deste domingo, “sejam celebradas em casa”, depois de, esta manhã, ter registado uma “concentração anormal” no centro da cidade.

“Apelamos a todos os cidadãos que adotem um comportamento cívico e responsável, e que, de acordo com o aconselhado pela organização, este ano as Festas Nicolinas sejam celebradas em casa”, lê-se num comunicado do Comando Distrital da PSP de Braga.

Em causa estão as Nicolinas, festas associadas ao culto de São Nicolau que são organizadas por estudantes vimaranenses do ensino secundário e se desenrolam ao longo de cerca de uma semana, mas têm habitualmente na noite deste domingo o seu ponto alto com o cortejo do Pinheiro, que leva às ruas milhares de pessoas a tocar caixas e bombos.

Este ano, devido à pandemia da covid-19, as festas decorrem de forma diferente da habitual e sem o tradicional cortejo. Porém, em comunicado, a PSP de Braga descreve que, este domingo, a meio da manhã, verificou “uma concentração anormal de pessoas nas imediações do centro histórico de Guimarães [no distrito de Braga], com os habituais bombos e trajes nicolinos”.

“Esta concentração é apenas habitual neste ‘Dia do Pinheiro’ durante o final da tarde e noite, tendo ocorrido durante a manhã, de forma inopinada. Antes das 13h00, hora de proibição de circulação na via pública, por força do estado de emergência em vigor, foi possível dispersar os cidadãos, evitando-se uma intervenção pela força, com resultados sempre imprevisíveis”, descreve a PSP de Braga.

A mesma força policial garante que “adotará as medidas preventivas necessárias para que não se verifiquem ajuntamentos de dimensão e natureza similar ao verificado em Guimarães” e reforça o apelo a que as festas sejam celebradas em casa.

Vídeos e fotografias que circulam nas redes sociais, publicados durante a manhã ou com referências para horários anteriores às 13h00, mostram grupos de pessoas reunidas a tocar caixa e bombo no centro histórico vimaranense.

Comissão garante que não promoveu ajuntamentos


A agência Lusa contactou a Comissão de Festas Nicolinas, que garantiu “não ter promovido ajuntamentos” e aproveitou para reforçar o apelo para que as pessoas fiquem em casa na noite de hoje.

“O que aconteceu na [Praça da] Oliveira e no Monumento [escultura do artista plástico José de Guimarães que fica junto ao local onde é tradicionalmente enterrado o pinheiro após o cortejo] não foi promovido por nós. Foi algo voluntário e espontâneo. Nós temos vindo a apelar para que o Pinheiro se celebre em casa com caixas e bombos a rufar à janela ou varanda”, disse à Lusa o presidente da Comissão de Festas Nicolinas, André Alves, que é estudante do 12.º ano da Escola Secundária Francisco de Holanda.

Também o presidente da Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG), José Ribeiro, de 73 anos e antigo estudante da agora denominada Escola Secundária Martins Sarmento, antes “Liceu de Guimarães”, que é o estabelecimento de ensino onde nasceram as Festas Nicolinas, reforçou o apelo.

“Dei a cara pela campanha de apelo para que todos fiquem em casa. Hoje, quando tive conhecimento de que havia grupos reunidos, percorri a cidade para pedir que não o fizessem. Se a praça esteve cheia, foi com certeza algo espontâneo. Este ano é atípico e isto é muito difícil para os nicolinos, para todos os vimaranenses, que vivem a tradição. Mas contornar as normas ou ignorar o que se passa [referindo-se à pandemia da covid-19] não faz parte do nosso espírito”, disse José Ribeiro, à Lusa.

Já na página da Câmara de Guimarães, no Facebook, a acompanhar um vídeo onde antigos e atuais estudantes da cidade fazem um apelo para que as pessoas se mantenham em casa, lê-se: “O espírito Nicolino sente-se de uma forma diferente, uma vez que não se realiza o cortejo do Pinheiro devido à situação de pandemia. Esta noite, celebramos a Noite do Pinheiro nas janelas e varandas das nossas casas”.

O vídeo é promovido pela Associação dos Velhos Nicolinos, Comissão das Festas Nicolinas e Associação das Comissões das Festas Nicolinas, com o apoio do Município de Guimarães.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    30 nov, 2020 aqui 03:29
    Culto de São Nicolau?! A sério?! Cada vez mais o Catolicismo parece-se com uma religião pagã. Os romanos e os gregos é qie tinham o culto de divindades direcionadas para cada elemento da natureza (deusa da caça, deus do vinho, deus da guerra, etc). Supostamente o Catolicismo deveria ser uma religião monoteísta.

Destaques V+