Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Lacerda Sales. Vacinação para a Covid-19 não terá "limite de idade, idosos são prioridade"

27 nov, 2020 - 12:52 • Redação

Única limitação serão as limitações das características das vacinas. O Governo já recebeu a proposta da comissão técnica, mas o .o secretário de Estado da Saúde adianta que o documento ainda não foi analisado e, a seu tempo, será tomada uma decisão política.

A+ / A-

Veja também:


Os idosos são uma prioridade no plano de vacinação contra a Covid-19 e a idade não será um limite, afirma o secretário de Estado adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales.

O Governo já recebeu a proposta da comissão técnica, mas Lacerda Sales adianta que o documento ainda não foi analisado e, a seu tempo, será tomada uma decisão política.

Até lá, o secretário de Estado garante que “para este Governo não há nenhuma limitação da idade”.

“As faixas mais vulneráveis sempre foram uma prioridade para este Governo, nomeadamente os mais idosos. Temos o exemplo de todo o trabalho feito nos lares”, disse Lacerda Sales durante uma visita à base aérea de Beja.

“Não seria agora que a idade seria um limite para vacinação. No entanto, sabemos que há vacinas que, por característica da própria vacina, têm uma indicação para determinadas faixas etárias. Essa é a única limitação”, explicou o governante.

António Lacerda Sales reforça que “para este Governo não há nenhuma limitação da idade”.


Segundo uma proposta de especialistas da Direção-Geral da Saúde, reproduzida hoje nos jornais, as pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças graves, os funcionários e utentes de lares de idosos e os profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados deverão ser os primeiros a ser vacinados contra a covid-19.

O primeiro-ministro rejeitou, esta sexta-feira, a possibilidade de todos os maiores de 75 anos sem doenças graves não terem acesso prioritário às vacinas contra a Covid-19, alegando que "há critérios técnicos que nunca poderão ser aceites pelos responsáveis políticos".

"Não é admissível desistir de proteger a vida em função da idade. As vidas não têm prazo de validade", declarou António Costa à agência Lusa, depois de questionado sobre a possibilidade, noticiada hoje por alguns órgãos de comunicação social, de todos os maiores de 75 anos sem comorbilidades ficarem de fora do acesso prioritário à vacina contra o novo coronavírus.

Vacinar contra a Covid-19 toda a população maior de 65 anos na primeira fase é incomportável porque não haverá vacinas para todos, afirma à Renascença o responsável pela "task-force" que está a preparar o plano de vacinação. “Não vale a pena criar uma falsa expetativa", sublinha Francisco Ramos.

Esta sexta-feira, o CDS-PP requereu uma audição parlamentar, com caráter de urgência, do responsável pela 'task force' que vai delinear o plano de vacinação contra a Covid-19 em Portugal, o ex-secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos.

À Renascença, a deputada centrista Ana Rita Bessa considera que Portugal está a correr contra a tempo e diz recear que haja alguma impreparação em todo este processo.

Evolução da Covid-19 em Portugal

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    28 nov, 2020 Lisboa 11:13
    Blá-blá e retórica popularucha. Não insultem a nossa inteligência. Ninguém fica de fora. Mas tanto o PM como o PR e este Lacerda-dos-alimentos-leves sabem bem, que não vão ter de imediato doses de vacinas em número suficiente para fazer o que dizem. E quando assim é, é necessário haver prioridades. E é isso que nos querem fazer crer que não vão fazer.

Destaques V+