Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

Hospital de Braga vai integrar enfermeiros com contratos a prazo "nos próximos dias"

16 nov, 2020 - 22:51 • Pedro Filipe Silva com Lusa

Em causa estão 86 enfermeiros contratados em março para reforçar o combate à pandemia. Apesar das garantias da administração, os profissionais continuam a receber cartas a anunciar o fim dos contratos no final de novembro. Ordem dos Enfermeiros denuncia incompetência.

A+ / A-

Veja também:


O Hospital de Braga anunciou hoje que vai regularizar, nos próximos dias, a situação de 86 enfermeiros, que estavam com contratos a prazo desde março.

Em causa está o facto de estes profissionais continuarem a receber cartas dando conta da caducidade dos respetivos contratos.

Numa carta a que a Lusa teve acesso, esta segunda-feira, a unidade comunica a uma enfermeira que o seu contrato, celebrado em 31 de março, “caducará com efeitos a partir de 30 de novembro, sendo este o último dia de trabalho”, a não ser que o hospital “obtenha autorização expressa para alteração do vínculo para sem termo”.

Ou seja, a conversão destes vínculos em contratos de trabalho sem termo terá de ser autorizada por despacho do ministério da Saúde, sob proposta da administração hospitalar.

"Administração hospitalar é incompetente", acusa a bastonária dos Enfermeiros

Em declarações à Renascença, a bastonária da Ordem dos Enfermeiros fala de “má gestão e incompetência que não se entende” e acusa a administração do Hospital de Braga de fazer suas as garantias da tutela, cujas determinações, diz Ana Rita Cavaco, não estão a ser acatadas.

“A garantia que existe é por parte do secretário de Estado Adjunto e da Saúde e da ministra que já lhes explicaram, mais do que uma vez, como é que têm de fazer as coisas para poder garantir o lugar de quadro a estes enfermeiros”, acusa Ana Rita Cavaco.

“Eu percebo que, durante uma pandemia, seja difícil trocar um Conselho de Administração mas eu não queria o Conselho de Administração de Braga nem para gerir a despensa da minha casa, porque eles não estão a acatar as orientações da tutela e continuam a enviar cartas aos enfermeiros”.

No entanto, a administração hospitalar assegura que os 86 enfermeiros em causa “continuam em funções”, estando o Conselho de Administração “a envidar todos os esforços para que aqueles contratos a termo se convertam a contratos sem termo e assim se mantenham todos os enfermeiros contratados em funções”.

“Nos próximos dias, a situação dever-se-á encontrar regularizada, no sentido de se garantir a permanência destes profissionais no Hospital de Braga”, acrescenta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+