Tempo
|
A+ / A-

Listas de espera. Administradores hospitalares pedem "liderança forte do Ministério da Saúde"

17 ago, 2020 - 12:48

O presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, diz que os números das listas de espera em cirurgias hoje conhecidos "podem ser ainda mais graves".

A+ / A-

O presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, apela a uma "liderança forte do Ministério da Saúde" para enfrentar o problema das listas de espera em cirurgia.

"Aquilo a que se apela é a uma liderança forte do Ministério da Saúde para conseguirmos resolver esta dificuldades", diz Alexandre Lourenço à Renascença, numa reação à notícia de que há 242 mil doentes em lista de espera para cirurgia.

O dirigente diz que "a situação pode ser mais grave" do que a descrita, uma vez que os dados são referentes a maio e "continuamos a observar uma incapacidade nos cuidados de saúd eprimário para referenciar doentes para primeira consulta hospitalar".

"Também nos hospitais há incapacidade de realizar essas consultas e os meios complementares que levam a um diagnósico e a uma decisão terapêutica", acrescenta.

Alexandre Lourenço diz que há áreas mais afetadas do que outras, aponto como das piores a área da oncologia, "onde o diagnóstico precoce tem particular importância".


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+