Tempo
|
A+ / A-

Imagens de satélite da NASA mostram incêndio de Oleiros visto do Espaço

27 jul, 2020 - 09:57 • Marta Grosso

Lavrou desde dia 25 de julho e só 48 horas depois foi controlado. No total, terão ardido mais de seis mil hectares. O fumo vê-se do espaço.

A+ / A-

As imagens de satélite da NASA (a agência espacial norte-americana) mostram a dimensão do incêndio que começou no sábado no concelho de Oleiros e se propagou aos vizinhos Proneça-a-Nova e Sertã.

O fogo foi dado como dominado nesta segunda-feira de manhã, pelas 8h00. As previsões apontam para mais de seis mil hectares de área ardida. De acordo com o Sistema Europeu de Informação de Fogos Florestais (EFFIS), o incêndiu destruiu 4.180 hectares - área que ultrapassa a extensão da cidade do Porto.

Apesar de dominado, o fogo ainda merece cuidados, até para evitar reacendimentos. "É natural que haja algumas reativações ao longo das próximas horas", alertou nesta manhã o comandante operacional do Agrupamento Distrital de Centro-Sul. Luís Belo Costa.

No domingo, o ministro da Administração Interna avisava que este incêndio poderia só ser dado como extinto na terça ou quarta-feira desta semana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Silva
    27 jul, 2020 Braga 13:18
    Eu pergunto onde está a oposição? Tempos houve em que bloco e PCP apareciam para incendiar ainda mais, pareciam hienas à espreita .Hoje está tudo bem, não passa nada , as pessoas que lá vivem não são ciganos, negros, coitadinhos e animais por isso aqueles portugueses que já pouco tem e o que tem é a muito custo ficaram agora sem nada incluindo animais, e quem é que se preocupa agora com eles? Eles mesmo. São poucos dão poucos votos.

Destaques V+