Tempo
|
A+ / A-

Covid-19: Morreu um dos doentes infetados do IPO de Lisboa

19 jun, 2020 - 17:26 • Lusa

O IPO informou na quarta-feira que oito profissionais e 12 doentes internados no Serviço de Hematologia tinham diagnosticados com covid-19 e que os pacientes foram transferidos para outros hospitais do SNS.

A+ / A-

Veja também:


Um dos doentes infetados com covid-19 no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa e que foi transferido para outro hospital morreu, confirmou esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido, na conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia em Portugal.

"Um dos doentes que foi transferido terá falecido numa outra unidade de saúde e, portanto, há um óbito lamentar", adiantou Marta Temido, quando questionada sobre o estado dos doentes que foram detetados com covid-19 no Serviço de Hematologia do IPO de Lisboa.

O IPO informou na quarta-feira que oito profissionais e 12 doentes internados no Serviço de Hematologia tinham diagnosticados com covid-19 e que os pacientes foram transferidos para outros hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Hoje, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, adiantou, citando dados do IPO, que os testes que foram feitos para este foco detetaram 13 profissionais e 17 doentes com covid-19, perfazendo um total de 30.

Contudo, frisou, apesar do número de casos, "a situação está controlada".

"Os profissionais positivos ou contactos positivos estão em casa, os doentes foram transferidos para outros hospitais e o serviço foi reorganizado, disse, sublinhando que "o IPO tem um excelente plano de contingência e um excelente plano de organização que tem permitido fazer face a todas as outras situações e a esta também".

Segundo Graça Freitas, desde o início da pandemia foram identificados 88 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a covid-19, graças ao "excelente plano de contingência" do IPO que "testa regularmente os seus profissionais, testa os seus prestadores de serviços e testa os seus doentes".

Em Portugal, morreram 1.527 pessoas das 38.464 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+